Ser Multitarefa

RENATA SPALLICCI

Carreira

05/12/2017

Não se engane! Não somos multitarefas

Ciência comprova que tentar fazer muitas coisas ao mesmo tempo nos torna menos produtivos e faz mal até para a saúde.

A vida da gente é uma verdadeira loucura, né? Em meio a reuniões, o WhatsApp pipoca no celular. Enquanto estamos fazendo uma planilha, o telefone toca e nos interrompe. O colega de trabalho nos chama enquanto nos concentramos para uma tarefa urgente. Isso sem contar aquelas pessoas que fazem tudo isso enquanto dão uma olhadinha nas redes sociais!

Há um bom tempo eu já estabeleci alguns limites para a minha mente e desde então me tornei muito mais produtiva. Quando vou para uma reunião importante, desligo o celular. Quando preciso me concentrar, me fecho em meu escritório e não falo com ninguém. Enfim, tomo várias atitudes para que possa ter foco no momento presente e me dedicar integralmente ao que estou fazendo. E sabe por que? Porque por mais que a gente queira acreditar, nós não somos multitarefas!

 

Ser multitarefa é apenas um mito!

Não caia nessa, ser multitarefa é um mito!!

É isso mesmo, gente! Ser multitarefa é um mito. O cérebro humano não pode realizar duas tarefas que exigem uma função cerebral de alto nível ao mesmo tempo. O que realmente acontece quando você acha que está sendo multitarefa é que você está alternando rapidamente entre as tarefas, mas para seu cérebro elas estão sendo executadas uma de cada vez.

O córtex cerebral lida com os “controles executivos” do cérebro. Esses são os controles que organizam o processamento das tarefas do cérebro. Os controles são divididos em duas etapas.

O primeiro é o deslocamento de metas. A mudança de objetivo acontece quando você muda seu foco de uma tarefa para outra.

O segundo estágio é a ativação da regra. A ativação da regra desativa as regras (como o cérebro completa uma determinada tarefa) para a tarefa anterior e liga as regras para a nova tarefa.

Então, quando você acha que é multitarefa e que dá conta de mil coisas ao mesmo tempo, está na verdade mudando seus objetivos e transformando as regras respectivas em uma rápida sucessão. Os interruptores são rápidos (décimos de segundo) para que você não os note, mas quanto mais fazemos muitas coisas ao mesmo tempo, mais esses atrasos começam a ser notados e a perda de foco começa a ficar evidente.

David Meyer, cientista cognitivo da Universidade de Michigan – onde atua como diretor do Laboratório de Cérebro, Cognição e Ação – é um dos principais especialistas dos Estados Unidos em multitarefa. E sabe o que ele diz?

“Quando você executa várias tarefas que exigem alguns dos mesmos canais de processamento, surgirão conflitos entre as tarefas e você terá que escolher qual tarefa você vai focar e dedicar um canal de processamento para isso”, explica.

Meyer esteve na vanguarda da pesquisa há várias décadas em como o cérebro processa a informação e lida com a multitarefa. E o seu trabalho ajudou a demonstrar que a capacidade do cérebro de processar a informação é limitada de várias maneiras – desde o processamento de canais até limites de volume de dados, velocidade e memória – que confundem ações de tarefas verdadeiras e simultâneas.

Quando você está no telefone, por exemplo, e escrevendo um e-mail ao mesmo tempo, você está realmente alternando entre eles, uma vez que existe apenas um canal mental e neural através do qual o idioma flui. “Se você tem uma tarefa complicada, ela requer toda a sua atenção, senão, não vai funcionar”, diz ele.

 

Ruim para a produtividade e para a saúde

Ser multitarefa pode ser prejudicial a sua saúde

Eu sei que em um mundo conectado e que prega o “tudo ao mesmo tempo agora” dizer que não somos multitarefa é quase que uma heresia. Mas outra pesquisa, esta realizada na Universidade de Stanford, descobriu que ser multitarefa nos torna sim menos produtivos do que se fizermos uma única coisa de cada vez. Os pesquisadores descobriram que pessoas que são regularmente bombardeadas com vários fluxos de informações eletrônicas não podem prestar atenção, recuperar informações ou mudar de um trabalho para outro, diferentemente daqueles que completam uma tarefa por vez.

E o mais perigoso é que além de nos tornar menos produtivos, a multitarefa diminui o nosso QI. Um estudo na Universidade de Londres descobriu que os participantes que realizavam várias tarefas durante tarefas cognitivas experimentaram declínios de QI que eram semelhantes aos que esperariam se fumassem maconha ou ficassem acordados a noite toda. As quedas de QI de 15 pontos para homens multitarefa diminuíram suas pontuações para a faixa média de uma criança de 8 anos. Então, na próxima vez que você estiver escrevendo para o seu chefe um e-mail durante uma reunião, lembre-se de que sua capacidade cognitiva está sendo diminuída ao ponto que você também pode deixar que seu filho de 8 anos escreva para você!

Razões para não ser multitarefas

Troque ser multitarefa por organização

Não seja multitarefa, seja organizado!

Você deve estar se perguntando! Como então vou conseguir dar conta de tudo se nem mesmo fazendo várias coisas ao mesmo tempo eu consigo! A resposta está em uma só palavra: organização. É isso mesmo, sendo organizado e cuidando bem do seu tempo e das suas tarefas, você conseguirá dar conta de todas elas, mas focando em uma de cada vez.

Nos meus artigos Chega de sair tarde do trabalho: aprenda a ser mais produtivo e trabalhe melhor e Dicas para se manter focado no trabalho você pode pegar algumas dicas valiosas que irão lhe ajudar nesse sentido.

Estou certa de que no começo será difícil, afinal, toda mudança de hábito requer esforço e dedicação. Mas quando você começar a trabalhar mais focado e com uma única tarefa por vez verá que os efeitos serão excelentes! Falo isso com conhecimento de causa. E além disso, o seu corpo e seu cérebro lhe agradecerão hoje e, principalmente, no futuro!

 

Busque se propósito. Deixe seu legado.

Renata Spallicci

 

 

Leia também

Como empreender e tornar o seu negócio sustentável

O novo workaholic é viciado também em qualidade de vida

Sempre cansado? Cuidado você pode estar com a síndrome da exaustão

 

Renata Spallicci

Atleta profissional fisiculturismo WBFF, executiva, empresaria, coach, influenciadora digital, escritora, palestrante motivacional e realizadora social fundadora do movimento Fit do Bem.

www.renataspallicci.com.br
www.fitdobem.com.br
www.dosonhoarealizacao.com.br