Dia Internacional das Mulheres

RENATA SPALLICCI

Realização

08/03/2018

Dia Internacional das Mulheres: Vamos à luta!

Neste 8 de março, conversei com cinco mulheres que admiro, sobre o momento feminino na sociedade, nossas conquistas passadas e lutas futuras.

Hoje, dia 8 de março, comemoramos o Dia Internacional das Mulheres. E eu, como uma defensora das causas femininas e incentivadora do protagonismo das mulheres, não podia deixar a data passar em branco.

Vejo o atual momento das nossas causas com um misto de frustração e esperança. Frustração porque acredito que nós, mulheres, deveríamos ousar mais e buscar ainda mais o protagonismo. Mesmo com tantas lutas e conquistas já acumuladas, creio que poderíamos ter ido além, se muitas  de nós estivessem realmente empenhadas nessas batalhas e unidas nos mesmo propósitos. Observo que ainda são poucas as mulheres que ousam e que atuam de forma ativa, a fim de conquistar o nosso espaço e romper as amarras de séculos e séculos de machismo e supremacia masculina.

Temos pouca representatividade na política e nas empresas, o que acarreta em pouca participação na composição das estratégias corporativas e de políticas públicas. Mesmo as leis que nos defendem quase sempre foram criadas por homens.

Se considerarmos  as grandes universidades do Brasil e do mundo, também encontraremos  uma maioria masculina, e as vozes femininas ainda são muitas vezes ignoradas. Temos todo um saber construído por homens, poucos livros escritos por mulheres, raras  pensadoras como referência acadêmica e como líderes inspiradoras.

Por isso, acredito que não nos basta mais esperar que as instituições criadas por homens e para homens nos abram as portas. Precisamos criar o nosso espaço, construir lideranças femininas e nos proporcionar realmente as condiçõespara alcançarmos o sucesso.

E é  aí que a minha frustração dá lugar à esperança. Porque, apesar de achar que ainda somos poucas com tal  objetivo, observo cada vez mais mulheres despertando para esta necessidade e se empenhando para nos dar o destaque merecido.

Séculos de exclusão da vida política, pública e profissional produziram efeitos internos em nós, moldando nossas ideias a respeito de nós mesmas. Não acreditamos que tudo nos seja possível, teremos sempre medo de aborrecer os outros e receio de numerosos comportamentos que sempre nos foram atribuídos como proibidos. Somos criadas para evitar conflito, nos autocensurar, agradar os outros e adotar discursos, muitas vezes, não assertivos.

Para romper este ciclo, tenho trabalhado muito, desde o início do meu blog, para dar ressonância às vozes das mulheres, porque acredito que só assim conseguiremos construir um mundo e uma sociedade melhores.

Desde as primeiras matérias aqui, sempre privilegiei fontes femininas e busquei dar prioridade ao nosso pensamento.

Assim, hoje, para celebrar a data, conversei com cinco mulheres que estão trabalhando, cada uma ao seu modo e em sua área de atuação, para nos levar à tão sonhada igualdade. Reproduzo, abaixo, um pouco das reflexões que fizemos juntas sobre a nossa posição na sociedade hoje e a respeito de  nossas caminhadas futuras.

Mas, antes, quero lhes apresentar resumidamente  cada uma delas.

Dia Internacional da Mulher

O nosso momento na sociedade

Daniela do Lago

Vivemos em um momento no qual as causas femininas estão mais latentes, mas ainda temos muito que crescer na sociedade e no mercado de trabalho. O que nos falta para crescermos mais é a união das próprias mulheres. Precisamos agir com mais cooperação e menos competição entre nós, não julgar umas às outras e continuarmos juntas buscando o crescimento e igualdade.

Flávia Monzano

Estamos num momento em que a mulher pode ser o que ela quiser. Ganhamos liberdade e estamos caminhando e lutando cada vez mais para uma sociedade com mais autonomia para decidir nosso papel, seja dirigindo caminhão ou programando computadores, como grande executiva ou dona de casa. Acredito que ainda falta à mulher ter mais confiança em sua força de realizar grandes feitos. A falta de confiança ainda impede  muitas mulheres  de agirem e realizarem seus grandes sonhos.

Myleni Tubero

Estamos passando por um momento muito importante. Estamos cada vez mais empoderadas, mais fortes, mais unidas e mais felizes. Seja com a nossa profissão ou com as nossas escolhas pessoais. Estamos em todos os lugares, ocupamos espaços que até pouco tempo atrás eram dos homens.

A mulher de hoje, perante a sociedade, está à frente de seu tempo e sempre conectada a tudo e a todos. Acho que o que está faltando é respeito com a mulher. Respeitar a sua vontade. Respeitar o seu espaço, respeitar o seu conhecimento e, acima de tudo, respeitar as suas escolhas. Acredito que tudo virá no seu tempo. Estamos avançando passo a passo e, aos poucos, vamos conseguir o respeito que merecemos e, então, acredito que nossa voz será ouvida.

Roberta Omeltech

Estamos cada vez mais buscando avanço, desenvolvimento e destaque. Vejo mais e mais mulheres procurando seu propósito, que está ligado àquilo em que elas acreditam e ao que faz mais sentido para as suas vidas. Isso levou a mulher a ter mais resultados e reconhecimento na carreira. Mas sinto que a mulher ainda precisa se desenvolver nos relacionamentos interpessoais. Ao mesmo tempo que a  considero  comunicativa,observo  muitas mulheres que não contribuem  umas com as outras. Devemos ser mais colaborativas e parceiras. Com isso, vamos avançar ainda mais, construindo alianças e crescendo juntas, sem concorrência e competição.

 

Sentindo a discriminação na pele

Daniela do Lago

Sofro e sofri discriminação. E  por um motivo que pode parecer absurdo em pleno século XXI. Por ser divorciada! Assim que divorciei, sofri discriminação no meu próprio ciclo de amigas casadas. Parecia que eu tinha  virado uma inimiga e que ia querer roubar os maridos delas. No trabalho também, já me senti discriminada, mas sempre soube me impor. O jogo comportamental corporativo é masculino e temos que tomar alguns cuidados para saber vivê-lo com equilíbrio. Infelizmente, ainda somos julgadas pela aparência, e é necessário muito cuidado com a maneira como nos vestimos e nos portamos no ambiente profissional. Com relação à mulher, qualquer deslize que aconteça, arranha toda uma reputação.

Flávia Monzano

Nunca me senti discriminada, o que eu percebo no mundo coorporativo é a insegurança de muitas lideranças masculinas com  medo de perder o espaço para as mulheres que são tão capacitadas quanto eles. Isso é uma grande bobagem, pois há lugar para todos.

Myleni Tubero

Já sofri discriminação por diversas vezes. Já sofri assédio moral também. Discriminação vem sempre partindo do estereótipo da mulher. Se a mulher é magra e alta, é vítima de brincadeiras desagradáveis. Se está acima do peso, é vítima de preconceito. Se é loira, magra e alta, é tida como patricinha que não precisa trabalhar.

Meu sofrimento maior veio do assédio moral. Sofri por dois meses. As pressões psicológicas de um chefe abusivo e perturbador que me testava o tempo todo, duvidando da minha capacidade como profissional.

Minha libertação foi no dia em que pedi demissão. Foi o dia em que decidi ser maior do que aquela situação e me livrar daquilo que me fazia mal. É uma agressão que vai além do trabalho. Fiz seis meses de terapia e consegui voltar a trabalhar. Foi uma vitória.

Vivi Barbosa

Sempre soube me colocar, quando percebia algum tipo de postura machista. Já trabalhei em instituições financeiras, grandes redações, agências de publicidade, e em uma única situação em que um homem tentou me diminuir ao apresentar uma sugestão de pauta para um cliente em uma agência de publicidade, eu disse, claramente: “eu vou opinar, porque estou aqui para isso. Se todos reprovarem minha ideia, ok. Mas só a sua opinião é pouco para mim”. Então, o dono da empresa se posicionou e disse que queria me ouvir. Eu expliquei minha ideia, que foi aprovada, e ganhamos a conta. O machista… Bom, teve que me engolir.

 

A falta de união entre as mulheres

Flávia Monzano

Precisamos mudar essa “visão machista” que, muitas vezes, é criada por nós mesmas, em  julgarmos outra mulher pelo seu jeito de vestir, falar ou se relacionar. Vamos “empoderar” cada vez mais as mulheres que estão a nossa volta, e não ter medo de compartilhar todas as conquistas que temos feito.

Myleni Tubero

Vejo que as mulheres estão com tudo! Ninguém segura mais esse poder, esse furacão que são as mulheres hoje. A união entre nós ainda está sendo conquistada, mas vejo que vem sendo tratada de uma forma bem mais leve e tranquila. Hoje, podemos dizer que as mulheres que têm “inveja de” ou “recalque” com outra mulher, é vista com maus olhos. Afinal, o mundo está aí… E há espaço para todas. Basta cada uma correr atrás daquilo que a faça feliz.

Roberta Omeltech

 Eu acredito que isso possa ser alcançado quando as mulheres começarem a perceber a importância de criar redes de relacionamento com as pessoas com quem tenham mais afinidade. E entenderem o quanto compartilhar experiências de vida faz com que uma fortaleça a outra. Assim, vamos ficando mais fortes e deixaremos de nos sentir ameaças para nos sentirmos parceiras.

Vivi Barbosa

Muitas mulheres se enxergam como concorrentes. Acho que este conceito tem sido praticado e entendido aos poucos, mas, no ambiente executivo, por exemplo, as mulheres ainda se veem como concorrentes e não como parceiras. Hoje, por ser coach de mulheres, tenho muitas clientes que querem aprender a se posicionar melhor, a ganhar reconhecimento e que percebem nas companheiras as grandes concorrentes. Para mim, como coach e palestrante do público feminino, a única forma de diminuir o machismo, inclusive o praticado por mulheres, é a comunicação. Expor o que pensa e sente, e se colocar no lugar da outra.

 

Contribuindo com a causa feminina

Flávia Monzano

A luta pela igualdade deve começar por nós. Todas podemos tomar atitudes para fazer algo que nos fortaleça cada vez mais. Algumas coisas que acredito que possam colaborar são:

  1. Empoderar cada vez mais outras mulheres, incentivando que elas façam o que quiserem, principalmente escolher profissões que são consideradas pouco femininas.Eu escolhi a área de TI e quebrei esse paradigma.
  2. Não julgar outras mulheres, todas nós merecemos respeito, independente do que estamos vestindo.
  3. Não podemos tolerar violência, vamos denunciar sempre!

Daniela do Lago

Como trabalho com o comportamento no trabalho, mostro como a realidade é hoje e como nós, mulheres, podemos tirar proveito disso. Ao atuar com homens, peço que eles olhem sua equipe como profissionais e não por gênero. É inaceitável que as mulheres ganhem 30% a menos que os homens, fazendo a mesma atividade. Sempre tento mostrar isso para os homens com quem trabalho. Acredito que só de fazer com que eles pensem sobre essa temática, já dou uma importante contribuição para a nossa luta por igualdade.

Myleni Tubero

Eu faço parte do quadro “Roda de Mulheres” (Rede Brasil de Televisão) onde tratamos todos os assuntos femininos com muita delicadeza. A minha colaboração é dar o espaço na TV para que elas falem, conversem e informem quem está em casa, sem acesso a algumas informações. A Roda hoje é um dos símbolos de nossa luta. Nenhum homem entra. Discutimos e debatemos apenas com mulheres, e tem sido incrível!

Roberta Omelthec

Ao trabalhar no desenvolvimento das pessoas, ajudo-as a encontrar e se realizar naquilo que elas fazem de melhor. Ajudo-as a buscar a felicidade, a satisfação e a alegria. E isso não apenas com relação à mulher, mas com todos os seres humanos com quem trabalho. Quero fazer com que  as pessoas sejam felizes  e alcancem seu sonhos, metas e objetivos

Vivi Barbosa

Meu trabalho é todo voltado para o resgate da autoestima. Seja na carreira, nos relacionamentos, ou consigo mesmo, no cuidado com o corpo, as emoções e pensamentos. Minha missão de vida é levar amor para as mulheres que ainda não percebem o quão incríveis elas são. Por isso, faço palestras, vídeos e produzo conteúdo de amor e não de comparação.

 

Uma mensagem para as mulheres

Daniela do Lago

Esqueça que existe atividade para homens e atividade para mulheres. Podemos fazer tudo aquilo que desejamos, e os homens devem ter as mesmas responsabilidades que nós. Se a gente pode dividir a conta, eles podem lavar a louça. Sejamos iguais!

Flávia Monzanno

Toda mulher tem o poder de conquistar o que quiser, e ser quem quiser. Eu transformei minha vida há quatro anos, sai de um estado de obesidade depressiva com 104 Kg. Decidi mudar minha vida, meus hábitos, passei a me valorizar e a priorizar meu bem-estar. Eliminei 40 Kg e ganhei minha autoestima de volta. Hoje sou uma nova mulher. Acredite, você também pode transformar sua vida.

Myleni Tubero

Que todas as mulheres se olhem mais no espelho, se amem mais, se cuidem mais e entendam que a vida é uma só e que temos que aproveitá-la ao máximo!

Vivi Barbosa

Que elas aprendam que todas nós temos TODOS os recursos que precisamos dentro de nós. Somos filhas, mães, amigas, namoradas, esposas, líderes… Somos o que quisermos ser. Para isso, basta olhar para dentro e usar todas as virtudes.

Roberta Omelthec

Jamais desistam! Não deixem de sonhar, acreditar e persistir. Busquem sempre a realização e deixem de lado aquilo que não faz mais sentido para vocês. Foquem nos seus objetivos, desejos e, acima de tudo, nas suas realizações, para que vocês possam se sentir satisfeitas, felizes e plenas, a fim de comemorarem  todas as suas vitórias.

Este é meu presente para as mulheres brilhantes como vocês, neste dia todo nosso! Que com os pensamentos dessas cinco mulheres incríveis vocês possam alcançar as sua vocações, expressando seus maiores dons.

Que as artes que ainda serão produzidas, as empresas que ainda serão fundadas, os livros que ainda serão escritos, tenham para vocês, mulheres, um novo olhar. Desejo que, juntas, possamos começar a construção de um mundo transformado para cada uma de nós!

Busque seu propósito. Deixe seu legado.

Renata Spalllicci

 

Leia também:

Um papo reto sobre sororidade e a inveja entre as mulheres

A internet e a nova onda do feminismo

Acreditando sempre na luta e no protagonismo feminino

Renata Spallicci

Atleta profissional fisiculturismo WBFF, executiva, empresaria, coach, influenciadora digital, escritora, palestrante motivacional e realizadora social fundadora do movimento Fit do Bem.

www.renataspallicci.com.br
www.fitdobem.com.br
www.dosonhoarealizacao.com.br