Autoconhecimento

Tenha a coragem de ser vulnerável e imperfeita!

Renata Spallicci fala sobre o poder de aceitarmos nossas vulnerabilidades e imperfeições para o exercício de uma vida plena.

 29 de março de 2016
4 min de leitura

Tenha a coragem de ser vulnerável e imperfeita!

Nesta semana assisti a um vídeo que me tocou profundamente. Em uma palestra do TED, a pesquisadora Brené Brown aborda como o poder de aceitarmos a vulnerabilidade, que é comum a todos nós, nos torna mais felizes, criativos e conectados uns aos outros.

Vivemos em um mundo repleto de padrões e que nos exige a perfeição. Precisamos ter o corpo perfeito, o emprego perfeito, o relacionamento perfeito. E é claro que essa “perfeição” é determinada por um padrão que nos é imposto pela sociedade.

E para sermos aceitos, buscamos cegamente atingir esse padrão de perfeição, muitas vezes contrariando nossa essência e nos tornando desconectados da vida, da felicidade e das demais pessoas.

A pesquisa realizada por Brené Brown mostra que, quanto mais as pessoas se assumirem como são e derem as costas para esse “modelo perfeito”, mais felizes elas serão. Afinal, o que nos torna únicos e singulares, ou pessoas de coração pleno, como ela define,  são nossas imperfeições e nossas vulnerabilidades perante a vida.

Nos últimos anos tenho investido muito em processos que me levem a aumentar o autoconhecimento. E, ao me conhecer, entendo minhas fraquezas, vulnerabilidades e imperfeições. Ao contrário do que pode parecer, por mais doloroso que seja, esse processo de entender e conhecer os seus “defeitos” é totalmente libertador. Quando assumimos nossas imperfeições, passamos a exigir menos de nós mesmos e nos tornamos mais plenos com a vida.

Ter a coragem de ser imperfeito e vulnerável nos torna mais abertos aos erros e, com isso, temos mais forças para nos relacionar, aceitar desafios, buscar aquilo que realmente nos faz mais felizes.  É exatamente assim que enxergo a vida. Você não pode nunca deixar de tentar, por ter medo de errar. Quebrar a cara, errar, recuar, mudar de ideia não é sinônimo de fraqueza, mas sim de coragem de lutar por aquilo em que acredita.

Desde pequenos somos criados para aceitarmos que somos perfeitos. Nossos pais, por amor, é claro, insistem em nos reforçar essa ideia, quando, na verdade, deveriam nos fazer compreender que perfeição não existe e que são nossas imperfeições que nos transformam em seres especiais.

Tento ser sempre a melhor em tudo o que faço. Mas não a melhor dentro de um padrão de perfeição, mas a melhor na possibilidade das minhas vulnerabilidades e imperfeições.  Para mim este é o sentido da vida: conhecer minhas fraquezas, aceitá-las e viver de forma plena com elas. Quando aceitamos nossos defeitos, sentimos mais amor por nós mesmos e, só nos amando com nossos defeitos e imperfeições, é que nos  permitiremos  ser amados e teremos condição de nos conectarmos plenamente ao outro.

A cada dia me sinto mais feliz por encontrar meu caminho, por não ligar para o que outro pensa a meu respeito, por desafiar padrões e por buscar aquilo que diz a  voz do meu coração e da minha essência.

Por isso, seja você mesma sempre! Corra em busca daquilo em que acredita e não do que acha que esperam de você. Olhe-se sempre no espelho e admire suas imperfeições, do corpo e da alma, pois é o conjunto das nossas virtudes e defeitos que nos tornam verdadeiramente únicos.

Fiquem com o lindo vídeo de Brené Brown (clique aqui) e tenham coragem de ser imperfeitas e vulneráveis!

Gratidão por ter vocês comigo!

Renata Spallicci

 

Leia também:

A vida que vale a pena ser vivida

Liberte o super-herói que existe dentro de você

Busque sempre o seu propósito

Finja o que quer ser até se tornar aquilo que deseja!

Busque seu propósito. Deixe  seu legado.

Rê Spallicci

 








Abrir Conversa
Fale comigo!
Abrir Conversa
Fale comigo!