Autoconhecimento

O poder da curiosidade

Curiosidade, saiba por que essa característica é tão importante para o nosso desenvolvimento e ao mesmo tempo tão negligenciada.

 16 de março de 2017
14 min de leitura

Conheça o poder dos curiosos

O poder da curiosidade

Há muitas competências bastante valorizadas, tanto no mundo profissional quanto no pessoal, como a disciplina, o foco, a resiliência, a criatividade, entre tantas outras. Mas há uma que fica sempre jogada de lado, e que quase ninguém lembra como uma atitude fundamental para a humanidade: a curiosidade.

Eu sou uma pessoa super curiosa e aprendi, ao longo da vida, que a curiosidade é uma ferramenta essencial para o nosso desenvolvimento. Só tendo vontade de descobrir o novo e de buscar respostas é que evoluímos, aprendemos e até mesmo produzimos inovação.

Então, por que será que ela é tão negligenciada? A resposta é simples. Ser curioso significa confrontar, duvidar e não aceitar as coisas como elas são. E isso é algo perigoso para as classes dominantes desde sempre!

 

A curiosidade na mitologia e na Bíblia

Desde tempos imemoriais, a curiosidade nos é transmitida como algo que contraria os deuses e nos leva a grandes males e desgraças

Se recordarmos a história contada pelo poeta grego Hesíodo, que viveu no século VIII a.C, já veremos como a curiosidade era tratada como algo a se evitar! De acordo com a obra, o titã Prometeu presenteou os homens com o fogo para que dominassem a natureza. Zeus, o chefe dos deuses do Olimpo, que havia proibido a entrega desse dom à humanidade, arquitetou sua vingança criando Pandora, a primeira mulher. Antes de enviá-la à Terra, entregou-lhe uma caixa, recomendando que ela jamais fosse aberta, pois dentro dela os deuses haviam colocado um arsenal de desgraças para o homem, como a discórdia, a guerra e todas as doenças do corpo e da mente, e um único dom: a esperança.

Vencida pela curiosidade, Pandora acabou abrindo a caixa, liberando todos os males no mundo, mas a fechou antes que a esperança pudesse sair. Ou seja, os graves problemas do mundo haviam sido libertados por essa tal curiosidade e, obviamente, por uma mulher, né? Esses seres maléficos que sempre fomos…. afff! Rs!

E o que não dizer, então, da clássica história bíblica de Adão e Eva. Afinal, o que faz Adão e Eva desobedecerem a Deus e serem expulsos do Paraíso, senão a temida e malfadada curiosidade!

E isso persistiu por muito e muito tempo. No fim da Idade Média, de acordo com o método de ensino, que era escolástico, afirmava-se  que os conceitos clássicos, autoritários, eram os corretos e tinham de ser apreendidos pelo estudante, para que ele descobrisse quais eram as opiniões válidas na sociedade. Só com o humanismo é que se começou a questionar esse sistema e a se discutir que a base do conhecimento autoritário é apenas um alicerce sobre o qual construímos os relacionamentos interiores.

 

Por que a curiosidade é tão importante

O escritor argentino Alberto Manguel resolveu estudar amplamente a curiosidade e escreveu o livro Uma história natural da curiosidade, no qual aborda o tema em todos os seus aspectos e define por que a atitude de buscar o novo é tão importante em nossas vidas.

Segundo ele, a curiosidade é como uma arte do ser humano e é uma característica essencial que nos permite sobreviver para imaginar as experiências que nos constroem e nos possibilitam entender o mundo que contém nossa identidade. “Nossa sociedade está construída sobre afirmações. Nosso contexto social representa uma das regras que constroem a muralha simbólica do lugar onde podemos viver juntos sob uma certa coerência. O indivíduo, para que essa sociedade continue viva, tem de questioná-la. Se há leis, elas devem mudar ao longo do tempo. E é a curiosidade do homem que pode alterá-las. Desde sempre, desde que as muralhas das sociedades eram verdadeiras, reais, o indivíduo queria saber o que havia do lado de fora para comparar com o que dispunha dentro e que caracterizava sua forma de viver. A curiosidade permite incorporar algo que não é real graças à imaginação”, revela.

Enfim, ser curioso é questionar o status quo, é sair da zona de conforto e  ir sempre ao encontro de  novas perguntas e, com isso, descobrir novas respostas para a vida!
Conversas de curiosidade

Quem também se dedicou a escrever um livro sobre o tema foi o produtor de cinema e de TV, Brian Grazer. Ao lado do jornalista Charles Fishman, o premiado produtor de filmes como Apollo 13, Splash, uma sereia em minha vida, Uma mente brilhante, entre outros, conta como a curiosidade o levou a ser quem ele é, e como ela é algo que devemos cultivar. No livro, Uma mente curiosa, o segredo para uma mente brilhante, que eu li e recomendo, Grazer explora as alegrias da curiosidade e o seu poder de transformar nossa vida. Desde o final dos anos 1970, o produtor tem procurado gente interessante e talentosa — de espiões e ganhadores do Prêmio Nobel a artistas e CEOs — para o que chama de “conversa de curiosidade”. O livro é um relato pessoal de como o entusiasmo de Brian Grazer em conversar com todos e qualquer um — incluindo personalidades como o escritor de ficção científica Isaac Asimov e o médico pesquisador Jonas Salk, que descobriu a vacina da pólio — tornou-o um dos principais produtores de Hollywood.

Mas é também um convite para todos nós valorizarmos a nossa curiosidade e nos tornarmos líderes melhores, gestores melhores, até mesmo parceiros românticos melhores. Brian Grazer acredita que vivemos na era de ouro da curiosidade.Temos a liberdade para fazer quase que qualquer pergunta e dispomos de mais ferramentas do que nunca para descobrir a resposta. Porém, precisamos começar a fazer essas perguntas e nos libertar das amarras que nos impedem de exercer nossa curiosidade, a qual pode nos abrir caminhos para inúmeras descobertas e aventuras.

“A curiosidade ainda não é respeitada. Vivemos numa época em que, se você estiver disposto a dar uma olhada, todo o conhecimento humano está acessível em um smartphone, mas o preconceito contra a curiosidade ainda impregna nossa cultura”, diz Grazer.

 

A curiosidade como arma de marketing

E, se a curiosidade vem sendo desprezada pela maioria, no nosso dia a dia, não podemos dizer isso de quem trabalha fazendo marketing e propaganda! Empresas e empreendedores já perceberam o quanto despertar a curiosidade das pessoas é uma importante ferramenta de marketing.

E um estudo recente e inusitado comprovou essa tese. Uma equipe de pesquisadores colocou em uma caixa uma moeda comemorativa para ser vendida aos participantes da pesquisa. Para um grupo, eles mostraram a moeda com a caixa já aberta e, para outro grupo, mostraram primeiro a caixa fechada e depois a abriram, expondo a moeda pouco a pouco.

O resultado? Os participantes do estudo ficaram mais interessados em comprar a moeda, quando puderam acompanhar a caixa sendo aberta. No entanto,  quando simplesmente viam a moeda na caixa já aberta, o interesse era menor. O interesse continuava, mesmo sabendo do que se tratava o produto, mas simplesmente com a expectativa de ver a caixa se abrindo….

Essa experiência foi realizada por uma equipe de pesquisadores liderados por Yixia Sun da Universidade Chinesa de Hong Kong. Conforme os pesquisadores, a observação da caixa sendo aberta desperta a curiosidade e traz prazer aos observadores, provocando um efeito positivo na avaliação do item dentro da caixa. O resultado vale também quando a caixa é transparente, e o produto é intrinsecamente indesejável, segundo os pesquisadores. Ou seja, a curiosidade aguça o desejo do consumidor e o faz consumir mais com mais prazer!

 

Como ser mais curioso

Bom, acho que já demonstramos o quanto a curiosidade é importante como uma competência em nossas vidas, para que possamos aprender mais, conhecer mais pessoas e, consequentemente, mais histórias e até mesmo para saber oferecer produtos e serviços. Mas há alguma forma de melhorarmos e treinarmos nossa curiosidade? Evidentemente que sim, e vou listar de que maneira você pode fazer isso.

 

Leia muito e sobre tudo

 Não há nada melhor do que um bom livro para despertar nossa curiosidade sobre uma infinidade de fatos e expandir os nossos conhecimentos. Afinal, existem livros que abordam praticamente tudo que existe, desde fitness, passando por culinária até política. Comece por um assunto de seu interesse e aprenda mais sobre ele.

Depois, vá um pouco além da leitura pura e simples. Que outros temas esse mesmo autor abordou, qual a formação dele, em que época e local viveu. Conhecer mais sobre quem escreveu é uma outra forma interessante de aprender mais sobre pessoas, lugares, costumes e períodos históricos.

E saia um pouco dos temas que sempre estuda ou lê. Ter mais conhecimento técnico sobre a sua profissão é bacana, mas pode deixá-lo um pouco bitolado em determinados assuntos. Saia um pouco da sua zona de conforto a escolha uma nova leitura!

 

Faça planos

 Leonardo Da Vinci tinha uma variedade imensa de interesses e uma famosa lista de atividades a serem executadas.  Nela, você encontraria coisas para desenhar, lugares para visitar, pessoas para conversar. Ou seja, Da Vinci fazia planos para saciar a curiosidade dele sobre diversos assuntos. Faça uma lista do que deseja aprender. A própria lista vai inspirá-lo a se tornar mais curioso ainda.

Faça como artistas lendários, a exemplo de Vincent van Gogh, Pablo Picasso, Ernest Hemingway e muitos outros, que andavam sempre com um caderninho para anotar suas ideias.  Toda vez que algo o intrigar, trouxer dúvida ou um interesse, anote imediatamente e pesquise depois sobre aquilo. E olha que os artistas citados não tinham a facilidade de dar um google para pesquisar depois, hein?

 

Viaje para diversos lugares

 Viajar nos torna mais curiosos. Ao chegar a um lugar novo, sempre ficamos curiosos para saber como as coisas funcionam lá. Você vai começar a se perguntar que comidas as pessoas comem, como elas se divertem e o que existe nos museus locais. Faça uma lista de lugares e comece a visitá-los.

Tudo bem que ir para a Disney ou para a praia pode ser superdivertido, mas será que não há outros lugares onde você pode aprender mais sobre o mundo, outras culturas e outras pessoas?  E, mesmo que vá para a Disney, que tal sair somente do circuito turístico e ir conhecer um pouco mais sobre a cidade de Orlando e a cultura local?  Há sempre coisas maravilhosas para aprender e descobrir em qualquer lugar a que você for. Basta estar atento!

 

Faça mais perguntas

Certamente você já conviveu com uma criança na fase dos porquês. Por que o céu azul, por que o sinal é verde, amarelo e vermelho, por que, por que, por que… Crianças adoram perguntar e mostrar curiosidade pelo mundo. Nós, adultos, gostamos mais de dar respostas do que de fazer perguntas e, muitas vezes, quando desconhecemos algo, ficamos receosos de perguntar para não demonstrar ignorância.

Todos somos ignorantes sobre milhares de assuntos e não há vergonha nenhuma!

Além disso, diversos estudos demonstram que os adultos tendem a ficar muito ansiosos para chegar logo às respostas.  Por isso, nós acabamos passando a maior parte do tempo concentrados em encontrar a solução e esquecemos de reconhecer a importância da pergunta em si. Comece a investir seu tempo em refletir na pergunta.


Esteja atento a tudo e a todos 

Em todo lugar e com qualquer pessoa há algo interessante para aprender e despertar a sua curiosidade. Converse mais com as pessoas e se interesse verdadeiramente pelas suas histórias. Voltando ao produtor Brian Grazer que citamos acima, conversar com as pessoas o levou a conhecer grandes personalidades e também a descobrir histórias incríveis em pessoas comuns!

Não negligencie a curiosidade: cientistas afirmam que ela é uma emoção que vale a pena nutrir. Concentre-se nela diariamente e torne-se cada vez mais curioso.

 

Evite cair na rotina

A rotina e os hábitos são dois grandes inimigos da curiosidade. Muitas pessoas adoram ter hábitos. Mas bagunce as coisas um pouco em nome da curiosidade. Faça suas tarefas diárias de maneiras diferentes.

 Ao percorrer um caminho diferente para chegar ao trabalho, você pode descobrir uma infinidade de coisas novas. Um restaurante tailandês, que pode levá-lo a perguntar o que se come na Tailândia, uma academia de uma arte marcial de que você nunca ouviu falar, e assim por diante. Novos percursos abrem o caminho para a curiosidade e para o conhecimento.

 

Infográfico da curiosidade

 

E, para terminar este texto, deixo aqui para vocês algumas frases maravilhosas sobre o poder da curiosidade. E vou fazer diferente. Vou colocar a frase e omitir o autor… Quem sabe isso não aguce a sua curiosidade de saber quem cunhou essas sentenças…

 

“A cura para o tédio é a curiosidade. Não existe cura para a curiosidade.”

“Curiosidade é a insubordinação em sua forma mais pura.”

“Quando o homem perder a curiosidade, a sensação é de que ele terá perdido a maioria das outras coisas que o fazem humano.”

Leia também:

Autocoaching: prepare-se para se tornar a melhor versão de você mesmo!

Um papo reto sobre a inveja entre as mulheres e a sororidade

Aprendendo a lidar com as emoções

 

 

Busque seu propósito. Deixe  seu legado.

Rê Spallicci

 








Abrir Conversa
Fale comigo!
Abrir Conversa
Fale comigo!