Autoconhecimento

Dia dos Avós: minhas referências de vida!

No dia em que se comemora o Dia dos Avós, Renata Spallicci “homenageia” suas avós Irene e Dorothy, dois alicerces da sua vida.

 26 de julho de 2016
5 min de leitura

Dia dos Avós - Minhas referências de vida!

Hoje, no Brasil, comemoramos o Dia dos Avós. Aproveito esta data para falar das minhas duas avós: Dorothy, minha avó materna, e Irene, minha avó paterna. As duas são referências incríveis na minha vida.

Fortes, guerreiras, batalhadoras e independentes. Mulheres à frente de seu tempo, que não tinham essa de “isso não é para mulher”. Minha avó Irene foi uma figura determinante na empresa da minha família, a Apsen. Foi fundadora, ao lado do meu avô Mário, e, por essa ocasião,  foi quem esteve no comando  dos negócios. Quem conviveu com ela nesse período conta que era uma mulher dura, rígida, mas ao mesmo tempo bastante justa e batalhadora. Nesse período, infelizmente, eu ainda era uma pré-adolescente e não pude conhecer esse seu lado de empreendedora. Por isso, a memória que guardo dela é a da minha infância, quando a nona italiana fazia questão de ter toda a família reunida  nos almoços de domingo em sua casa.

Mas, infelizmente, ela teve mal de Alzheimer e, já na minha adolescência, não era mais a minha avó Irene quem estava lá…

renata-dia-avos-2

 

A minha avó Dorothy é a tradução completa da expressão “avó é uma segunda mãe”. Ela sempre foi muito presente em minha vida, me educando, mimando (afinal vó é para isso…rs), cuidando e, acima de tudo, me dando muito, muito amor.

Vou contar uma historinha para que entendam o quanto a minha avó é carinhosa e especial. Eu era fanática por pão de queijo e ela, sempre que podia, chegava em casa com um saquinho da padaria para mim. Certa vez, ela passou na padaria, foi para a minha casa e, quando chegou lá, o prédio estava sem luz. Eu morava no 16º andar. Mas isso para ela não foi obstáculo. Ela subiu os 16 andares pela escada e me entregou o pão de queijo! Uma história simples, mas que resume quem é minha avó. Uma mulher que, quando coloca um objetivo na cabeça, o persegue até alcançá-lo, uma mulher que não se deixa vencer ao primeiro obstáculo e, acima de tudo, uma mulher amorosa, carinhosa e que faz qualquer sacrifício pelas pessoas que ama!

Minha avó ficou viúva muito cedo, pois meu avô materno faleceu quando eu tinha três anos. E essa mulher virou também o homem da casa. Ela é avó e também avô, é uma segunda mãe, um verdadeiro alicerce da minha vida. Lembro-me de quando eu tinha 17 anos e meus pais se separaram. Foi um momento bastante duro da minha vida, mas  ela estava lá firme, dando-me seu ombro, seu colo e seu amparo. Ficamos vivendo eu, minha mãe e ela na mesma casa. Brincávamos que ali era a Casa das Três Mulheres, em referência à minissérie da Globo, Casa das Sete Mulheres, que contava a história de sete mulheres fortes e guerreiras de uma mesma família.

renata-dia-avos-3

Hoje eu vejo muito dela em mim. A obstinação, a força de vontade, a coragem para superar obstáculos… Creio que tudo isso herdei dela e também de minha avó Irene, o  que faz com que eu tenha uma cobrança bastante alta comigo mesma, porque não é fácil se igualar a essas duas grandes mulheres.

Da minha avó Irene tenho saudades e carrego tristeza por não ter podido aprender mais com ela como empresária, empreendedora, mas guardo, acima de qualquer coisa, sua retidão, seriedade e comprometimento para a realização.

renata-dia-avos-4

Com a vovó Dorothy, tenho o privilégio de continuar usufruindo do seu convívio amoroso, de poder beijar sua pele sempre perfumada, gostosa e macia. Uma das mulheres mais educadas que já conheci, mas também uma mulher verdadeira, sem meias palavras e de uma honestidade e correção invejáveis.

 

Hoje quero expressar toda a minha gratidão, amor e admiração por ela e espero que minha avó Doroti possa se orgulhar de mim. Tudo o que desejo na minha vida é ser só um  pouquinho do que ela é. Posso dizer que tenho nas minhas avós exemplos gigantescos de pessoas que viveram e vivem baseadas naquilo em que eu mais acredito: Busque seu propósito. Deixe o seu legado. Que eu possa estar à altura do legado dessas duas excepcionais mulheres.

Minha mais completa Gratidão!

Busque seu propósito. Deixe  seu legado.

Rê Spallicci