Autoconhecimento

O que realmente o motiva?

Entenda por que conhecer a sua verdadeira motivação e propósito de vida é algo essencial para uma vida mais plena.

 16 de fevereiro de 2017
8 min de leitura

Busque a motivação

“Os dois dias mais importantes em sua vida são o dia em que
você nasce e o dia em que descobre o porquê.”

Mark Twain

Você já parou para se perguntar o que realmente o motiva? Já se perguntou que o faz acordar todas as manhãs para ir trabalhar? Não, não confunda motivação com obrigação.  Se você me responder que faz isso para suprir suas necessidades básicas e pagar as suas contas, ok, mas você não está respondendo à questão em toda a sua complexidade.

Aquilo que nos motiva é algo que vai além das nossas necessidades diárias. É uma força interior que fala muito mais ao nosso coração do que à nossa mente! É aquilo que faz nossos olhos brilharem. É o que nos dá força para superarmos dificuldades e ultrapassarmos obstáculos!

É o nosso verdadeiro propósito. E esse propósito que é a força motriz que surge do nosso interior e nos ajuda a resolver os desafios que podemos encontrar, a nos superarmos em nossas tarefas e alcançarmos com êxito aquilo que nos propusemos a fazer.

E agora, se eu lhe fizer novamente a mesma pergunta. A sua resposta ainda será a mesma?

 

A busca pelo propósito

Qual é o seu propósito?

A verdade é que, em um mundo cheio de obrigações e necessidades materiais, quando somos questionados sobre nossas motivações, raramente vamos ao centro da questão. Costumamos nos contentar com, simplesmente, suprir nossos anseios mais diretos. Mas é exatamente essa falta de buscar algo maior que nos leva à infelicidade e insatisfação. Pois só conhecendo a nossa verdadeira motivação ou propósito,  é que vamos conseguir nos sentir mais plenos e completos.

Está parecendo confuso? Deixa então eu lhe contar uma pequena fábula que pode ajudar a clarear o que estou querendo lhe dizer!

Imagine um martelo. Ele é projetado para bater em pregos, certo? Foi para isso que ele foi criado. Essa é a razão de ser do martelo! Agora, imagine que o martelo nunca é usado. Apenas fica lá, quietinho, guardado na caixa de ferramentas.

Vamos imaginar que este mesmo martelo tenha uma alma, uma autoconsciência. Dias e dias se passam com ele lá na caixa de ferramentas, até que ele começa a se sentir angustiado. Ele tem a sensação de que algo está faltando na existência dele, mas não sabe exatamente o que é.

Até que um belo dia alguém o puxa para fora da caixa de ferramentas e usa-o para quebrar alguns galhos que serão usados em uma fogueira. O martelo fica animado. Sendo segurado e empunhado, batendo nos ramos, o martelo se sente útil. No final do dia, porém, ele ainda está insatisfeito. Bater e quebrar os galhos foi divertido, mas não foi suficiente. Algo ainda está faltando.

Nos dias que se seguem, ele é usado com frequência. Ele bate uma perna de mesa, desmontando-a, quebra algumas pedras de gelo para preparar um drink para seu dono. Mas, ainda assim, ele fica insatisfeito. Ele anseia por mais ação. Ele quer ser usado tanto quanto possível para derrubar, quebrar, explodir as coisas. Ele imagina que, simplesmente, não teve o suficiente de ação para satisfazê-lo, depois de tanto tempo guardado na caixa de ferramentas. Mais do mesmo, ele acredita, é a solução para sua falta de realização.

Até que um dia alguém o usa em um prego. De repente, as luzes acendem em sua alma de martelo. Ele agora entende que, realmente, foi projetado para aquilo. Ele foi feito para unir peças, para consertar coisas. Todos os outros objetos que ele quebrou e partiu não eram realmente a sua razão de ser. Agora ele sabe o que sua alma de martelo estava procurando por todo o tempo. Ele sabe qual o seu propósito, qual a sua razão de ser!

Quantas vezes o nosso dia a dia nos obriga a sermos utilizados para ações e atividades que não são aquelas para as quais somos realmente talhados? Ficamos em nossos trabalhos quebrando gelos e galhos (literalmente como o caso do martelo, ou figurativamente…rs), quando um picador de gelo e um machado fariam isso melhor… e há inúmeras coisas para serem pregadas e consertadas que precisam de nós!

E aí é que está a grande busca que devemos ter em nossas vidas. Qual realmente é o nosso propósito? Qual o nosso talento?

Encontrando seu “Kavanah”

Encontre o seu Kavanah

Inspirar pessoas na busca por seus propósitos e na realização de seus sonhos é o que me motiva! E nessa minha constante procura por leitura e informações que possam me ajudar nesse sentido, encontrei uma palavra muito interessante sobre o poder do propósito. A palavra é hebraica na origem e é rica em história e tradição e tem incríveis implicações práticas para qualquer aspecto da vida, incluindo a busca por nossas aptidões.

Desde os tempos antigos, rabinos destacados da tradição judaica reconheceram que um dos maiores desafios de viver uma vida religiosa satisfatória é a inevitável monotonia da oração. Ao repetir as mesmas palavras todas as semanas, elas começam a perder o seu poder inspirativo. Como podemos restaurar o significado e acabar com a monotonia? – eles pensavam.

Fazendo aquela oração com “Intenção ou direção do coração”, ou seja, kavanah.E é exatamente esse mesmo conceito que devemos carregar para nossas vidas! Como fazer para que nossas atividades diárias que, muitas vezes, podem se tornar monótonas e maçantes não nos levem a uma vida de insatisfação? Sabendo que tudo aquilo que fazemos pode ser uma parte de algo maior, de nossa direção final, ou seja, de nosso propósito!

Mas, e quando a gente nem tem certeza ou desconhece nossas paixões e motivações? Fomos criados e treinados, quase sempre, para fazer o que “estudamos fazer”, ou o que os pais acham que devemos fazer, ou até mesmo o que a gente supõe que devêssemos fazer.

Na correria do dia a dia precisamos sublimar as atividades que nos dão prazer em função de outras que teoricamente trazem mais resultados.

Nossas escolhas são moldadas por padrões criados por terceiros e, por comodidade ou insegurança, facilmente os replicamos, caindo em uma rota que não representa nossos valores. E nos sentimos insatisfeitos e não realizados.

Mas, então, como descobrir suas paixões, aquilo que o motiva de verdade? Que tal começar respondendo a  algumas perguntinhas simples e ver se você está no caminho certo?

 

Descubra se está no caminho certo com o teste motivacional

Quadro de passos para a motivação

Somos todos seres complexos e diferentes. Por isso, a resposta para a pergunta – o que o motiva – é igualmente complexa e diferente para cada pessoa! Mas fazer o que gosta, ser autêntico em suas escolhas e seguir a sua essência são pontos que, certamente, o levarão à motivação.

Portanto, faça uma reflexão profunda sobre a sua vida e busque o autoconhecimento, a fim de entender o que realmente o move e o leva a uma vida mais plena. Eu já fiz essa viagem e posso lhe garantir que uma vida com propósito é muito mais rica e completa do que uma existência seguindo os padrões que tentam nos impor. Comece hoje mesmo essa trajetória! Nunca é tarde para começar!

Leia também:

Autocoaching: prepare-se para se tornar a melhor versão de você mesmo!

 Dicas para aumentar sua autoestima!

Aprendendo a lidar com as emoções

Busque seu propósito. Deixe  seu legado.

Rê Spallicci








Fale comigo!
Fale comigo!