Autoconhecimento

Seja parte da solução e não do problema

Renata Spallicci compartilha dicas de duas especialistas em desenvolvimento pessoal e profissional para ajudá-lo neste momento de crise e de insegurança.

 12 de abril de 2016
9 min de leitura



Estamos vivendo um período complicado na vida do País, o que traz reflexos para todas as esferas da sociedade. As empresas precisam se ajustar a esta nova realidade, os profissionais se sentem mais pressionados por resultados, enfim, há uma certa tensão no ar, um um ambiente de incertezas, um clima de expectativa…

Mas, se o momento negativo está aí e pouco podemos fazer para mudá-lo, o que está ao nosso alcance, do ponto de vista pessoal e profissional, para passarmos por esse turbilhão? Para ampliar e enriquecer essa discussão, fui conversar com as psicólogas Raquel Sarmento e Zora Viana, coachs e especializadas em orientação de carreira e desenvolvimento pessoal. Encontros, sem dúvida, muito esclarecedores.

Autoconhecimento e propósito

Sempre acreditei que o grande motor para nossa vida e para nos conduzir por todos os momentos, sejam eles positivos ou negativos, é a definição de um propósito de vida claro e a busca pelo autoconhecimento. Com esses dois pilares bem sedimentados, acredito que temos mais de meio caminho andado rumo a uma vida plena.

É o que também pensa a psicóloga Raquel Sarmento. Para ela, conhecer a si mesmo ajuda não apenas a lidar com as dificuldades que se apresentam em nossas vidas, como também a dar um sentido maior a tudo o que vivemos. “Conhecendo a si mesmo é possível saber que batalhas lutar e de quais abrir mão em prol da própria felicidade e da boa convivência. Um dos pontos altos do autoconhecimento é compreender o sentido da própria vida, ou seja, por que você é quem você é e aonde vai chegar“, ela disse.

Zora Viana acredita que uma das chaves para passarmos por esse momento é agirmos com resiliência e criatividade. “Existem duas principais atitudes diante desses cenários: resiliência e criatividade. Quando somos demitidos, por exemplo, é preciso encarar o problema de não ter mais o emprego, recuperar-se emocional e financeiramente da demissão e traçar novos planos. A verdade é que muitas pessoas se esquecem de avaliar como foi o último emprego e isso não ajuda a enxergar diferentes comportamentos que precisam ser adquiridos para o sucesso profissional. Já a criatividade é necessária, quando nos deparamos com um volume de trabalho tão intenso que precisamos buscar alternativas diferentes para dar conta e, principalmente, produzir com qualidade”, me contou.

Cuidado para não adoecer

Tenho lido constantemente e ouvido em conversas com amigos e amigas empresárias o quanto esse momento complicado que passamos vem influenciando a vida das pessoas. Hoje, para se ter uma ideia, doenças como ansiedade e depressão estão entre as que mais afastam colaboradores dos seus postos de trabalho.

Como podemos, então, passar pelas dificuldades sem causar problemas para a nossa saúde?

Raquel, novamente, acredita no autoconhecimento. “Existem vários estudos sérios que trazem à tona a necessidade de autoconhecimento para lidar melhor com as condições em que vivemos, a fim de evitar ou minimizar os fatores que podem levar ao desenvolvimento dessas condições. Em meu entendimento, quanto mais a gente se conhece, mais sabe o que evitar, com que conseguimos lidar e como escapar das armadilhas. O autoconhecimento e o autocuidado são a chave de tudo”, diz. Segundo ela, buscar vivências que incentivem o autoconhecimento, processos de coaching e psicoterapia são excelentes opções.

Cuidar de si também envolve estar atento aos próprios limites, respeitando o máximo possível os horários de sono, alimentação e lazer, ou seja, ter uma rotina relativamente organizada é fundamental quando se tem a agenda cheia.

E a lista de cuidados não finda: exercitar-se é essencial, porém atividades que levam à sensação de ‘extravasar’ podem não ser indicadas, pois o corpo entende que ‘está na luta’, o que pode agravar sintomas ligados à Síndrome de Burn out, por exemplo. Portanto, ioga, pilates, dança, corrida e futebol (esportes em equipe em geral) são bastante indicados.

Ao melhor estilo mente, corpo e espírito, Raquel leva a relação de cuidados ao limite. “Meditar e trabalhar a espiritualidade (não necessariamente ligada a uma religião, mas uma conexão com a sua própria essência) também são aliados importantes”, enumerou a Raquel.

E Zora completa que, no caso de a pessoa começar a se sentir esgotada e estressada, o melhor a fazer é buscar ajuda imediatamente.   “Hoje, a psicologia está cada vez mais disseminada, e as pessoas estão entendendo que o bem-estar e equilíbrio emocional são fundamentais para aumentar os resultados. Buscar atividades complementares de desenvolvimento emocional como coaching, treinamentos de imersão e acompanhamentos individuais pode ser essencial”.

Crise como oportunidade

Costumo sempre lembrar para as pessoas que trabalham e convivem comigo que a crise, por mais persistente e real que esteja se mostrando, não será para sempre. A qualquer hora, as coisas se ajustarão, e as pessoas e empresas que souberem passar por esse período é que estarão mais fortes para novas conquistas no futuro.

Está nas nossas mãos e na nossa atitude olhar o copo meio cheio ou meio vazio. Eu sempre opto pela primeira opção…

Zora comenta que o momento é o de ser parte da solução e não do problema.  “Quanto mais você pensar em soluções para pequenos e grandes problemas, maior a chance de você se sobressair num contexto em que a maioria tem optado por ficar reclamando da situação”.

Atitude é tudo

Ser bem-sucedido e positivo quando tudo vai bem, é fácil. O real desafio é conseguir ser resiliente, inovador, próspero em uma época como a que estamos vivendo agora. E muito do que é necessário para isso está dentro de cada um de nós. Ser reativo e pessimista só atrapalha.

Parece um conselho simplista, mas a realidade é que atitude é tudo. Quanto mais positivo, quanto mais colaborativo, criativo e proativo um profissional, maiores suas chances de se dar bem nesse cenário.

“Quem passa o dia se preocupando se será o próximo da lista de demitidos só aumentará sua dor de cabeça e não criará condições para escapar da crise. Ao contrário, vai acabar compactuando com ela e se deixando levar pelo sentimento negativo coletivo. E, de verdade, de que adianta ficar com essa preocupação rondando seus dias e noites? Se você estiver na lista, estará e pronto”, me disse a Raquel.

O ideal nesses casos é agir com toda força de vontade, buscando encontrar exatamente a corrente contrária, aquela faixa vibratória onde os poucos (e bons!) estão, aquele grupo que parece nunca ser afetado por nada, sempre abundante em energia e lucratividade, mesmo que o resto dos mortais esteja se lamentando. É nesse lugar que devemos estar, onde nada ruim nos alcança.

“Para estar nessa condição, é preciso começar com gratidão. Reconhecer as coisas boas que temos nos ajuda a levantar nosso ânimo e atrai mais coisas boas. Reconhecer as conquistas realizadas até ali, os conhecimentos que tem, valorizar o suporte social e emocional obtidos por meio das relações pessoais, preservar suas habilidades e competências. E dar valor à própria vida, à saúde e  energia é fundamental para tornar-se mais positivo”, complementou.

Acredito que, focando na experiência e nos conselhos da Zora e da Raquel, trabalhando sempre com otimismo, perseverança e propósito em tudo o que fazemos, com certeza, atravessaremos esse momento de crise e sairemos ainda mais fortes.

Gratidão por ter vocês comigo!

Renata Spallicci

 

renata-raquelRaquel Sarmento

Formada em Psicologia pela USP e em Coaching pelo ICI – Integrated Coaching Institute, atua como Consultora de Desenvolvimento Humano, Coach profissional e pessoal, Psicoterapeuta, Facilitadora de grupos e Anfitriã praticante da Arte de Anfitriar Conversas Significativas (ArtofHosting). Possui experiência de 15 anos atuando como Business Partner e Gerente de Desenvolvimento, em empresas como Natura, Unilever, Cargill e Sealed Air.

Foi responsável pela implementação de diferentes técnicas e metodologias de gestão de pessoas e desenvolvimento organizacional, como Gestão de Talentos da Lominger, metodologias de Gestão de Desempenho, Academias de Liderança, Gestão do Clima Organizacional, entre outros.

Página na Internet e facebook

 

renata-zoraZora Viana

Psicóloga, formada pelas Faculdades Metropolitanas Unidas, coach de excelência, orientadora vocacional, profissional e de carreira, psicodramatista, e practitioner em Programação Neurolinguística. Atualmente se especializa em Neuropsicologia, pela Universidade Estadual de São Paulo – UNIFESP, e Liderança Horizontal. Possui experiência de atuação em atendimentos clínicos individuais e grupos, empresas do setor privado, institucional, escolas e universidades. Há nove anos desenvolve competências e habilidades em mais de dez mil pessoas em todo o território nacional e internacional. Fundadora e Diretora Executiva da Atitude Emocional e mídias sociais @atitudemocional.

Página na internet e facebook

 

 

Leia também:

Em tempos de crise ou de glória seja transparente

Busque sempre o seu propósito

Atitudes para garantir o seu sucesso na crise

Coaching ou mentoring: escolha a melhor opção para o seu desenvolvimento

A tal da resiliência

Busque seu propósito. Deixe seu legado.

Rê Spallicci