Carreira na Indústria Farmacêutica

Profissões da Indústria Farmacêutica – Analista de Treinamento

O que faz um analista de treinamento

 30 de agosto de 2021
8 min de leitura

ANALISTA DE TREINAMENTO

ANALISTA DE TREINAMENTO

O que faz?

O Analista de Treinamento é responsável pela capacitação e desenvolvimento da Força de Vendas e seus gestores com o objetivo de propagarem os produtos de forma consultiva e em alta performance aos profissionais da saúde, implementando as estratégias de marketing. Para isso, o treinamento deve desenvolver a equipe de vendas sob sua coordenação, analisando atividades, visitação e dando feedbacks de acordo com os cargos e nível de desenvolvimento dos colaboradores, a fim de atingir os objetivos individuais e estratégicos da empresa.

Além disso, ele é responsável por:

  • Coordenar, implementar e ministrar programas de treinamento de habilidades de vendas e técnico dos produtos, de forma presencial e on-line, visando assegurar o constante desenvolvimento e aprimoramento do desempenho da força de vendas.
  • Se atualizar perante o mercado com modelos de vendas, técnicas de treinamento, programas e insights que auxiliem na inovação e na eficácia do desenvolvimento da força de vendas.
  • Interagir com clientes internos e externos com a finalidade de identificar oportunidades para a realização de ações de treinamento.

Rotina de trabalho

Um profissional de treinamento tem uma rotina bem variada com 4 focos principais: Força de Vendas (FV), Marketing, Áreas Internas e Autodesenvolvimento.

Na rotina com foco no trabalho da área de Marketing, o treinamento atua para desenvolver a força de vendas na aplicação das estratégias definidas para o produto, para isso, participamos das decisões e planejamentos dos produtos. Seja no lançamento ou revisão periódica, estudamos tecnicamente os produtos e, junto com a área médica, desenvolve os treinamentos para transferência e retenção do conhecimento dos mesmos. Também se mantém atualizado com o mercado, auxiliando os representantes a atuarem de forma mais estratégica, proporcionando melhores resultados em vendas.

Com relação às Áreas Internas, o Analista de Treinamento entende tudo o que impacta a rotina da Força de Vendas como ferramentas, políticas e assuntos administrativos facilitando o entendimento e utilização dos mesmos.

Na rotina focada na Força de Vendas, desenvolve e aplica treinamentos de técnicas para a melhor atuação diante dos clientes, mantendo um contato ativo com a FV para medir efetividade, dificuldades e novas necessidades de desenvolvimento da linha de frente da Indústria farmacêutica.

Como parte da rotina também está o Autodesenvolvimento da equipe de treinamento que é a busca por métodos, meios e conteúdos para atualização nas técnicas didáticas e no conhecimento dos produtos e mercado farmacêutico.

Importância para os negócios

Seja com equipes internas ou até mesmo terceirizados é uma profissão essencial. Para uma formação comercial mais ampla, os interessados em entrar na IF têm diversos recursos de capacitação técnica, até mesmo de graduação. Porém, para o conhecimento dos produtos mais específicos desenvolvidos pela própria IF, para informações do mercado, para técnicas de atuação e até mesmo da cultura da empresa, somente é possível adquiri-los através da equipe de treinamento.

Pontos positivos

De forma geral, quem se aventura na área de aprendizado e treinamento tem como objetivo e propósito desenvolver pessoas. A área de treinamento da IF, por ter uma grande relevância e impactar um grande número de pessoas, proporciona a possibilidade de que se atue com paixão. Como consequência, a receptividade da Força de Vendas é muito positiva, deixando sempre as duas áreas bem próximas, o que permite ao Analista de Treinamento atuar no auxílio do desenvolvimento de forma ampla e profunda.

Desafios

Como treinamento fala de se aprender algo novo ou mudar algo existente, é preciso que ele seja sempre o mais personalizado possível. Contudo, ao atuar com diversas faixas etárias e grupos com diferentes formações, nem sempre é possível se atingir, ao mesmo tempo e com todos, os objetivos estabelecidos. Outro desafio é o grande número de pessoas a serem desenvolvidas, o que dificulta uma visão mais focada sobre as necessidades e retenção dos conteúdos aplicados.

Formação Acadêmica

Atualmente está mais abrangente: Administração de empresas, Comunicação Social, Publicidade e Marketing, Farmácia, Biomedicina, Biologia, Enfermagem e outras áreas relacionadas a saúde

Perfil e principais competências

Empático

Gostar de Pessoas

Proativo

Colaborativo e agregador

Saber trabalhar em Equipe

Comunicativo

Interessado

Criativo

Inovador

Possuir pensamento crítico e analítico

Organizado e saber planejar

Ter aptidão digital

Resiliente

Flexível

Qual é, em geral, a trilha de crescimento na carreira?

Usualmente temos 2 trilhas que chegam ao treinamento. A primeira e mais comum é a migração de colaboradores vindo da Força de Vendas. Durante sua carreira no campo, seja como representante ou gestor, ele se envolve no desenvolvimento de profissionais da saúde, colegas e subordinados e entende que essa pode ser a atividade que mais gosta e decide ampliar essa influência dentro da área de treinamento. Uma segunda trilha é a de profissionais formados em áreas da saúde como farmacêuticos, biólogos e biomédicos que visualizam, durante sua formação, a possibilidade de atuar na IF e identificam em treinamento o propósito de desenvolver pessoas. Pensando agora na trilha interna, a trilha para quem inicia como assistente de treinamento é subir para analista, passar a especialista (cargo existente somente em algumas casas), coordenador/consultor, gerente e gerente de área. Em algumas empresas, devido ao seu tamanho, há ainda a posição de diretor de treinamento.

O futuro

Com a pandemia, a profissão tem ainda mais possibilidades, pois surgem novas habilidades para serem desenvolvidas para um grupo com experiências diversas. Como consequência, ampliou-se o número de contatos para mais profissionais da área da saúde que abriram possibilidades de acesso devido à migração para a forma remota. Os tempos atuais também aumentaram a abertura e facilidade das pessoas com relação aos meios digitais e trouxe mais agilidade e acesso à informação. Assim é possível adquirir e compartilhar muito mais conhecimento do que anteriormente. E também é possível ter interações mais constantes com a Força de Vendas espalhada por todo o país.

Qual a sua dica para quem deseja ingressar nessa carreira?

A primeira dica é gostar de interagir com pessoas, essa é a essência da área, seja para ensiná-las, influenciá-las, aprender com elas e até mesmo ouvi-las para entender as suas necessidades. Assim, o desenvolvimento de quem deseja seguir essa carreira deve ir além das áreas relacionadas à saúde, mas também em ciências humanas como, por exemplo, comunicação, andragogia, heutagogia e gestão de pessoas. Uma habilidade bem desejada atualmente para profissionais de treinamento é a aptidão digital. Quem estiver mais conectado com os recursos e como utilizá-los para o desenvolvimento, poderá sair na frente. Dessa forma, o objetivo de transformar para melhor a capacidade profissional e a vida das pessoas pode ser feito com ainda mais qualidade. Outra dica, e muito importante, é vivenciar o mundo do treinamento de vendas, principalmente para quem vem de outras áreas dentro da empresa, experimentando alguns trabalhos pontuais, esporádicos, para entender a rotina, as dores e os ganhos de ser um treinador. Todos ganham com isso, a área ganha mais troca de experiências e os possíveis candidatos ganham a confirmação ou não de seus desejos e intenções.

Leia também: 

Desafios da gestão estratégica 

Apsen probiotics day é enorme sucesso

 De estagiária à diretora – conheça minha trajetória na Apsen

Busque seu propósito. Deixe o seu legado. 

Rê Spallicci 








Abrir Conversa
Fale comigo!
Abrir Conversa
Fale comigo!