Carreira

Sete dicas para montar seu perfil no LinkedIn

Faça as escolhas corretas ao montar seu perfil do LinkedIn e aumente a chance de dar uma boa impressão aos selecionadores.

 11 de fevereiro de 2016
6 min de leitura

Sete dicas para montar seu perfil no LinkedIn

Muita gente ainda faz confusão quando se trata de  montar seus perfis nas Redes Sociais. Se o Facebook é uma rede mais voltada para contatos pessoais e permite mais informalidade, no LinkedIn, rede totalmente voltada para contatos profissionais, o perfil precisa seguir algumas “regras”.  É sempre bom ter em mente que o LinkedIn tem sido cada vez mais usado pelo RH das empresas para buscar ou avaliar candidatos a um emprego. E o seu perfil é como um currículo on-line. Por isso, fique atento a algumas dicas e monte um perfil que valorize suas competências profissionais. Afinal, você não vai querer que seu perfil o  derrube,  não é mesmo?

Como montar seu perfil no LinkedIn

  1. Tenha uma foto adequada

Fotos na balada, com camisa do seu time preferido ou posando de gatinho na praia,  certamente não são as mais indicadas para uma rede profissional. Tenha em mente que você deve estar na foto da mesma forma que estaria no ambiente de trabalho. Ela deve passar uma imagem profissional. Não precisa ser extremamente formal, mas deve mostrá-lo simpático, competente e influente.

Se estiver em dúvida sobre qual foto usar, poderá postá-la no site PhotoFeeler: http://zip.net/bvsPSJ. Ele permite que outras pessoas a avaliem, dizendo que impressões ela está passando de você.

  1. Seja claro e preciso no texto

Erros de português e textos mal escritos em qualquer rede social não são nada legais, mas, em um site profissional, então, é um pecado gravíssimo. Atente-se à redação, use palavras precisas e tome cuidado com os tempos verbais.  Recrutadores podem achar confuso ver a descrição de várias funções e empregos diferentes no seu LinkedIn com verbos no presente. Deixe apenas o seu emprego atual no presente. Para os antigos, use verbos no passado.

Pode parecer coisa pequena, mas lembre que os selecionadores chegam a olhar até centenas de perfis e gastam poucos segundos em cada um. Eles não vão se empenhar para entender o que você quer dizer, se não estiver claro.

  1. Destaque suas principais habilidades

Na parte de “Competências e recomendações”, não liste a capacidade em Microsoft Word, ou mesmo no PowerPoint, antes de outras habilidades mais específicas e especiais. Fazendo isso, você perde oportunidade de se destacar.

Recrutadores querem saber por que devem chamá-lo, em vez dos outros candidatos. Conhecer Word é uma habilidade muito comum. Retire essa competência da lista, ou mude a ordem, para que ela não apareça entre as primeiras.

  1. Mostre sua formação acadêmica

Na área de formação acadêmica, pode ser interessante listar disciplinas que cursou na faculdade e que tenham a ver diretamente com sua atividade profissional, mostrando competências específicas que aprendeu. Mas não pode exagerar na quantidade, ou vai desviar o foco dos recrutadores.

Cursos que fez fora da faculdade, porém, devem estar no topo da lista, porque mostram que você toma iniciativa para melhorar suas habilidades.

Mas cuidado, pois  as descrições das habilidades não podem ser muito longas. Novamente: selecionadores gastam poucos segundos vendo os perfis e não vão parar para ler com atenção.

Deixe a descrição curta e em formato de tópicos, para que as principais informações estejam em destaque e sejam vistas rapidamente, apenas com um breve olhar  na página.  E evite sempre adjetivos subjetivos para se referir a si mesmo.

  1. Navegue por perfis de empresas e profissionais

No LinkedIn, você pode acompanhar empregadores e conhecer suas novidades. Além de facilitar seu acesso a informações importantes, isso pode mostrar ao recrutador que você presta atenção naquela empresa. É recomendável também observar com atenção as características do perfil de funcionários do empregador que você deseja conquistar. Assim, você pode saber que competências eles têm e que você precisa adquirir, ou mostrar que já as tem.

  1. Mostre um pouco seu lado B

Suas competências e experiências profissionais são determinantes,  mas não é  preciso que sejam  a única face a ser mostrada  na rede. Você se preocupa com os direitos dos animais, por exemplo? Inclua esse fato no campo “Causes I care about”. Isso pode criar mais possibilidades de identificação com o recrutador. Mas, cuidado para não extrapolar. Trabalhos voluntários e ações sociais que realiza também podem dizer muito sobre você.

  1. Faça contatos

Lembre-se, mesmo sendo uma rede profissional, o LinkedIn é também uma rede social e, como tal, se pauta pelas relações entre as pessoas. Por isso, ter um bom relacionamento com os recrutadores é essencial até para quem não está procurando emprego.

No LinkedIn, é possível escrever um depoimento sobre outro profissional e endossá-lo por suas competências e habilidades. Porém, não caia na armadilha de se preocupar com quantidade, e não qualidade. De nada adiantam várias  recomendações, se elas não forem escritas pelas pessoas certas.

Lembre-se: as informações que vão para a rede são perenes e, uma vez lá colocadas, saem totalmente do seu controle. Por isso, todo cuidado é pouco ao falar sobre você no ambiente on-line. Hoje, cada vez mais, as pessoas tendem a ter uma vida profissional mais longeva e uma informação mal colocada no presente pode atrapalhar até mesmo em uma mudança de carreira no futuro. Cuide de seu perfil de LinkedIn como cuida de seus bens mais preciosos. Afinal, a sua imagem é um dos seus principais atributos.

Leia Também: 

Escrever bem e com clareza é fundamental no mundo corporativo

Potencialize sua carreira em 2018

Ferramentas digitais para potencializar sua carreira

Networking: Fazer bons relacionamentos é essencial à sua carreira

Busque seu propósito. Deixe seu legado.

Rê Spallicci