Dietas

Dieta da Mente – Aumente sua performance cerebral

Dieta que está bombando nos Estados Unidos promete cuidar de sua mente e, de quebra, vai ajudá-lo na perda de peso!

 6 de junho de 2017
10 min de leitura

Dieta da mente

Alcançar um corpo lindo e dos sonhos é um objetivo bacana a ser perseguido! Mas isso tem que ser feito preservando a saúde acima de tudo. Afinal, de nada adianta ter um corpo maravilhoso por fora e cheio de problemas por dentro!

E a dieta que agora está bombando nos Estados Unidos promete exatamente cuidar de sua saúde, mais precisamente de sua mente, e, como consequência, proporcionar  uma reeducação alimentar. E, na esteira, a perda de peso!

É a dieta da mente, que citamos há pouco tempo aqui no blog, na matéria “As dietas mais recomendadas em 2017”, que destacou as três líderes do ranking do US News & World Report.

Como muita gente me procurou querendo saber mais detalhes sobre ela, fui estudar mais a fundo o tema e, agora, trago esse artigo supercompleto com tudo sobre o assunto!

Ah! E,  antes de tudo,  aqui vale uma ressalva. A Mind Diet, ou Dieta da Mente como estou chamando, não é a mesma do Dr. David Perimutter que, aqui no Brasil, ficou conhecida também como a Dieta da Mente. Mas sim a dieta da mente catalogada como a terceira melhor dieta e que foi desenvolvida por um epidemiologista nutricional no Rush University Medical Center, em 2015.

Os estudos que levaram à dieta

Dieta da mente - Conheça os estudos que levaram a dieta

Com o aumento da expetativa de vida, cada vez mais e mais pessoas estão sofrendo da doença de Alzheimer. E muitos estudos são realizados em todo o mundo, a fim de se descobrirem maneiras de  evitar esse mal.

Para se ter uma ideia da ordem de grandeza da doença, mais de cinco milhões de pessoas vivem e estão lutando contra a doença de Alzheimer nos Estados Unidos, e a cada 66 segundos, um novo indivíduo é diagnosticado com o mal. Um número assustador!

E uma coisa é certa, meus queridos! O processo de envelhecimento é algo com o qual todos teremos de lidar um dia. E é claro que eu quero chegar à velhice, sendo uma vozinha sarada, cheia de músculos e disposição, mas principalmente, com minhas faculdades mentais totalmente preservadas, não é não? rs

Certamente não é uma surpresa para nenhum de nós que, após os 65 anos de idade, as chances de desenvolver a doença de Alzheimer sejam aumentadas. Apenas 200 mil pessoas nos Estados Unidos que sofrem com a doença têm, atualmente, menos de 65 anos – depois dessa faixa etária, os números parecem aumentar.

Mas isso não quer dizer que não devamos nos preocupar desde já! Afinal, podemos e devemos, quando jovens, tentar reduzir o risco de ser atingido por esta terrível doença. E a melhor maneira de fazer isso pode ser por meio daquilo que comemos!

 

A Dieta da Mente e o Alzheimer

A dieta da mente é uma combinação entre duas dietas bastante conhecidas, a DASH e a Mediterrânea, que também já tratamos por aqui, nos artigos “As dietas mais recomendadas em 2017”e “conheça as melhores dietas e escolha a melhor para você”.

De acordo com pesquisas recentes, este regime de nutrição não só pode ajudá-lo a permanecer saudável e em forma, mas também pode auxiliá-lo    a evitar o aparecimento da doença.

Um trabalho da Rush University Medical Center, com duração de 20 anos, identificou que seguir a dieta reduz o risco de Alzheimer em uma média de 53%!

Os pesquisadores da universidade usaram 923 voluntários, que fizeram a dieta, e realizaram exames anuais entre 2004 e 2013. Com os dados analisados, os pesquisadores conseguiram afirmar que aqueles que seguiram rigorosamente a Dieta da Mente diminuíram o risco de contrair a doença de Alzheimer em 53%,enquanto que aqueles que seguiram vagamente as diretrizes diminuíram seu risco em 35%.

 

Mas, afinal, o que é a Dieta da Mente?

A dieta da Mente ressalta  que nossa alimentação deve estar baseada em dez alimentos que são saudáveis ​​para o cérebro: folhas verdes, vegetais, nozes, frutos carnudos, feijões, grãos integrais, peixes, aves, azeite de oliva e vinho. Além disso, limita a ingestão de carne vermelha, manteiga, margarina, queijo, doces, frituras e fast-food.

Segundo os especialistas, a combinação de ômega 3, antioxidantes e fibras de proteína magra, bem como baixos níveis de açúcar e de gorduras saturadas e trans reduzem o risco de inflamação no cérebro, o qual  aumenta o risco de demência.

 

Como ela funciona

Uma das grandes vantagens da Dieta da Mente é que ela não é restritiva, e você tem a liberdade de comer praticamente o que quiser, apenas com moderação. As diretrizes são bem flexíveis, dando-lhe muito espaço para manter os alimentos que você ama. E, se você ainda fugir das regras, de vez em quando, isso não será o fim do mundo. Afinal, lembram que o estudo que analisou o impacto da Dieta da Mente descobriu que mesmo as pessoas que não seguiram a dieta reduziram seu risco de Alzheimer em 35%?

Em princípio, a dieta visa colocar os tipos de alimentos em diferentes categorias. Existem categorias de alimentos “pouco saudáveis” e um enorme número de alimentos “saudáveis para o cérebro” (confira no infográfico).

A ideia básica da dieta MIND é que você deve comer mais alimentos das categorias “saudáveis para o cérebro” e evitar, ao máximo, as pouco saudáveis. É apenas uma questão de monitorar o que você come no dia a dia e mudar de acordo com o sistema da categoria.

Além disso, não há limite diário de calorias, tempo específico para cada refeição, regras sobre lanches ou eliminação de grupos de alimentos. Isso porque, o único foco da dieta é aumentar a ingestão de alimentos que são saudáveis ​​para o seu cérebro e reduzir os que podem prejudicar seus neurônios. É mais um estilo de vida e menos uma “dieta”.

Simples, né? Não é à toa que ela foi classificada como uma das mais fáceis de seguir no ranking elaborado pelo US News & World Report e, provavelmente, o motivo pelo qual ela está ganhando popularidade em todo o mundo.

Alimentos da dieta da mente

O que comer

Como eu já disse, a Dieta da Mente é molezinha de seguir. Os especialistas recomendam que, todos os dias, você consuma pelo menos três porções de grãos integrais, uma salada de folhas, algum outro vegetal, meia xícara de feijão, meia xícara de frutas e um copo de vinho (não, não é um erro de digitação…rs). E que use o azeite de oliva como sua principal gordura de cozimento. Além disso, na maioria dos dias, você deve incluir nozes nos seus lanches e, pelo menos duas vezes por semana, deve comer aves e, uma vez por semana, peixe.

O consumo da carne vermelha deve ser reduzido a menos de quatro porções por semana, e os doces, menos de cinco porções. E eles ainda dão uma folguinha para uma porção por semana entre os alimentos não saudáveis, como manteiga, margarina, queijo, fritura e fast-food.

Dieta da mente - Confira tudo que tem na dieta

Mas, emagrece?

Bom, eu sei que, se você chegou até aqui na matéria, a pergunta que não quer calar é: ok, vou ficar livre do Alzheimer, mas rola uma emagrecidinha também?

E é aí que entra a boa notícia! Os especialistas mostram que os alimentos apresentados nesta dieta podem ajudá-lo, sim, a perder peso, o que é ótimo se este for o seu objetivo.

Como já foi dito, o estudo da Dieta da Mente não foi realizado visando à  perda de peso, entretanto, os alimentos cerebrais não saudáveis, que são mal vistos na dieta, são aqueles mesmos que devemos tirar da dieta para perder peso.

Além disso, um estudo de 2015 liga aditivos alimentares à inflamação e ao ganho de peso, e um estudo do Journal of Nutrition mostra que mudar de refinado para grãos integrais reduz o peso e a gordura corporal. E como a dieta trabalha com alimentos ricos em fibras, que retardam o processo de digestão e desencadeiam a liberação de hormônios de saciedade poderosos, em última análise, tudo isso junto o ajuda a atingir seu peso saudável.

E, sejamos sinceros, a maioria de nós vai perder peso, se reduzir o açúcar adicionado nos doces, as gorduras trans dos alimentos fritos, e se comer mais vegetais e grãos integrais.

Mas é claro que, se objetivo for perder peso, você deve se atentar também para os tamanhos das porções. Por exemplo, o azeite de oliva, que é um alimento básico saudável na dieta, contém 119 calorias em uma única colher. É aquela máxima:  coma muito de qualquer coisa, mesmo alimentos saudáveis, e você ganhará peso.

Afinal, ser  um alimento  saudável não  significa que ele tenha poucas calorias e, no fim do dia, a base de toda dieta de perda de peso é que você precisa consumir menos calorias do que está queimando.

Por isso, se a meta é perder peso e ter o corpo dos sonhos, fazer exercícios é essencial, seja qual for a dieta que opte por seguir! E é aquilo que sempre faço questão de frisar. Meus artigos aqui são baseados em estudos e leituras que faço como uma apaixonada pelo tema e como atleta profissional. E meu objetivo é lhe proporcionar o maior número de informações sobre cada dieta, para que você possa fazer melhor as suas escolhas. Mas NUNCA deixe de consultar um especialista para saber o que é melhor para o seu organismo, combinado?

E, se quiserem saber mais sobre algum tipo de dieta da qual  ainda não falei aqui no blog, é só escrever, que, com prazer,  vou  estudar e compartilhar as informações com vocês!

Leia também:

As dietas mais recomendadas em 2017

Conheça as melhores dietas e escolha a melhor para você

A dieta ideal para cada tipo de corpo

Busque seu propósito. Deixe seu legado.

Rê Spallicci