Fitness

Como identifiquei pontos que poderia aprimorar no meu corpo e me preparei para competir

Mudei meu treino e consegui melhorar muitos pontos em que tinha deficiências. Confira como...

 10 de maio de 2016
5 min de leitura

Como identifiquei pontos que poderia aprimorar no meu corpo e me preparei para competir

Como quem me acompanha já sabe, eu treino há muitos anos e sempre levei bem a sério meus treinamentos. Mas é aquilo, né? Quando a gente não tem uma meta específica e um objetivo bem claro para atingir, nos deixamos levar muito pelos nossos gostos pessoais e, às vezes, negligenciamos as reais necessidades do nosso treinamento.

Por isso, quando tomei a decisão de participar do WBFF – World Beauty Fitness & Fashion, uma competição que tem como foco o lado fashion e glamoroso do mundo fitness, uma das minhas primeiras resoluções foi procurar um coach que pudesse me ajudar a melhorar a minha performance e a rever os meus treinamentos, minha alimentação, enfim que pudesse montar um plano mais específico para uma competição. Foi aí que encontrei o americano Anthony Perez, que é especialista em preparar atletas para este tipo de torneio, e é bastante conceituado no meio.

E a primeira ação do Anthony foi fazer uma completa avaliação do meu corpo, tendo por base minhas medidas e, principalmente, minhas fotos. Assim, ele pôde perceber quais eram os meus pontos fortes e, mais ainda, minhas fraquezas. A partir disso, ele traçou um plano específico de treinamento.

Como eu, ao contrário da maioria das mulheres, sempre preferi treinar membros superiores a inferiores (é isso mesmo, meninas, acreditem! rs), as minhas maiores deficiências estavam exatamente nos membros inferiores (óbvio) e foram esses grupos musculares que o Anthony identificou como aqueles aos quais  eu precisaria dar mais atenção: posterior de coxa, glúteos e lateral do quadril.

Nesse momento, entraram em ação a minha superamiga e personal trainer, Luiza Guirra, que sempre foi essencial no meu treinamento e que também abraçou com tudo esse projeto e me ajuda a cumprir o treinamento necessário para a competição e a melhorar sempre fisicamente e como Ser Humano!!!

Além de muito, muito esforço e dedicação da minha parte!

Porque — é lógico! — os músculos em que temos mais deficiência são aqueles que a) a gente gosta menos de treinar b) a gente tem mais dificuldades c) a gente não sabe bem como treiná-los da forma correta d) todas as alternativas anteriores!

Por isso, eu acredito que, mais do que a avaliação do profissional, o segundo passo para corrigir nossas deficiências é o mais importante: a humildade para admiti-las e querer aperfeiçoá-las.

Depois de passar por esse processo e decidir que sim, eu queria melhorar, comecei um processo muito legal, ao lado da Luiza, que foi redescobrir novas formas de treinar músculos que, muitas vezes, eu não treinava tão fortemente e até mesmo perceber como o meu corpo se adaptava a cada tipo de exercício e como eu mesma poderia extrair o melhor de cada série e de cada movimento.

Acredito que esse processo me proporcionou muito crescimento e autoconhecimento corporal, além de me trazer  benefícios para toda a minha vida como atleta e como pessoa. Afinal, percebi que o grande responsável pelo nosso treino, nosso resultado e nosso corpo somos nós mesmas. A Luiza me orienta muito sobre meu treino e meu corpo e o Anthony possui uma visão mais global em relação à competição, unindo treinamento,  alimentação e descanso, mas  até para que eles possam extrair o melhor de mim, eles precisam do meu feedback, de saber como eu sinto que meu corpo se comporta, de saber se estou sentindo corretamente cada grupo de exercícios que estou trabalhando, e assim por diante.

E é essa experiência que gostaria de compartilhar com vocês. Tomem o controle do treino de vocês. Entendam como o seu corpo funciona e troquem sempre informações com o seu professor sobre as suas dificuldades e fraquezas. Não se autoenganem, não fujam daqueles exercícios nos quais tenham  mais dificuldades. Insistam, conheçam cada centímetro do seu corpo. Se um exercício não está trazendo resultados, tentem outro, busquem se aprimorar sempre!

Só assim conseguiremos melhorar, nos conhecer melhor e alcançar os resultados desejados! #ficaadica!

Gratidão por ter vocês comigo!

Renata Spallicci

 

Leia também:

Pronta para um novo desafio 

Minha rotina para o WBFF

Dez dicas para dormir bem e treinar melhor ainda

Desfile e theme wear para o WBFF

Existe um horário certo para malhar?

Cintas para malhar. Estou usando e conto a experiência para vocês

WBFF – Cheguei no meio do caminho da preparação

Busque seu propósito. Deixe seu legado.

Rê Spallicci