Gestão e Liderança

Lidere sendo você mesma e rodeie-se de pessoas diferentes de você!

Renata Spallicci fala da importância do autoconhecimento para a liderança e sobre o novo perfil da liderança feminina.

 2 de novembro de 2016
6 min de leitura

Lidere sendo você mesma e rodeie-se de pessoas diferentes de você!

Uma das coisas que mais observo em blogs e sites de negócios e carreira são as tais fórmulas do sucesso: oito passos para liderar, dez dicas para ser um líder de sucesso, cinco atitudes para conduzir equipes, e por aí vai!

Mas a verdade é que para mim não existe fórmula de sucesso padrão, quando o tema é liderança. Eu acredito que devemos liderar e trabalhar de acordo com nossa personalidade e alinhados com aquilo que realmente somos. Afinal, creio que cativamos os membros de nossas equipes pelas nossas características e, principalmente, por meio de nossos talentos.

No recente trabalho que estou fazendo de coaching com Luciana Tegon, que é top no assunto, tenho aprendido que uma das principais coisas que devemos fazer como líder é potencializar aquilo no qual somos realmente bons e talentosos e não perder tempo com as nossas deficiências. Isso me chamou bastante atenção! Uma vez que sempre ficamos tentamos trabalhar e melhorar naquilo que temos de menos nobre em nós?! Eu acredito, sim, que devemos sempre buscar o desenvolvimento e evolução como profissionais e pessoa, mas pensem comigo: não faz muito mais sentido investirmos forças em potencializar aquilo em que somos realmente bons em fazer?!

É por meio dos nossos talentos que nos diferenciamos e nos tornamos uma pessoa que inspira os demais a nos seguirem. Ou seja, quando se tem um talento e você o potencializa, a sua liderança acontece de forma natural!

Olhar demasiadamente para aquilo que precisamos melhorar, sem nos reconhecermos pelo que temos de virtude, pode nos tornar tristes, inseguros e deprimidos.

É por isso que conhecemos líderes de todos os perfis: há o que é mais introspectivo e pouco comunicativo, tem o expansivo, tem o mais sério, o mais brincalhão, mas certamente não são essas atitudes somente que os tornam bons líderes, mas sim, um talento que os diferencia, seja uma capacitação técnica, uma forma bacana de lidar com as pessoas, a criatividade, enfim, algo realmente especial e único.

Por esse motivo, eu acredito que, para ser um bom líder, o primeiro passo é se autoconhecer, pois só assim você vai entender quais os seus talentos, fraquezas e características. Os talentos, como eu já disse acima, devemos fortalecer, e as fraquezas devemos conhecê-las para trazermos pessoas para nossa equipe que nos supram daquilo em que somos deficientes.

E é essa característica de formação de equipe que não é tão simples como parece, visto que nós temos uma tendência a querer nos cercar de pessoas que sejam parecidas conosco. E é exatamente aí que muitos líderes erram ao formar suas equipes! Se em nossa equipe tivermos todas as pessoas com as mesmos talentos e fraquezas, teremos um time desiquilibrado e incompleto. Por isso, o objetivo de um bom líder é se cercar de pessoas que tenham talentos complementares aos seus! Idades variadas, vivências distintas, formas de encarar o mundo diferente, todo esse mix é muito saudável em uma equipe!

 

A liderança feminina

Esta questão de uma liderança mais pessoal é uma nova realidade, principalmente para as mulheres. Por anos, fomos ensinadas que, para sermos líderes, deveríamos ter comportamentos masculinos, como se as atitudes típicas das mulheres não fossem compatíveis com posições de liderança!! E querem saber?! Eu acho exatamente o contrário. Acredito que nós, mulheres, temos uma sensibilidade, uma inteligência emocional que são essenciais para conduzir uma equipe!

Infelizmente ainda temos muito que caminhar na questão da mulher no mercado de trabalho. Estamos em poucos cargos de liderança, temos salários mais baixos do que os dos homens, muitas vezes sofremos preconceitos, mas estamos aí, a cada dia conquistando mais um degrau e mostrando toda a nossa força e capacidade!

Por isso, temos que sermos nós mesmas quando chegamos lá! Mais do que nunca temos de mostrar nossa personalidade realmente feminina. Se queremos ter cabelão e ser executiva, que tenhamos nosso cabelão! Entrar no esquema, no padrão, é mais fácil no começo, sem dúvida! Você será aceita com mais facilidade e precisará quebrar menos barreiras. Mas e em longo prazo? Você vai conseguir viver não sendo você mesma? Em uma eterna representação daquilo que gostariam que fosse! Eu tenho certeza de que não, e por isso digo que precisamos quebrar rótulos, preconceitos e padrões preestabelecidos!

Eu como executiva e atleta fitness, dois mundos que para as pessoas são tão distantes, tenho que fazer isso todos os dias, e digo: não é fácil! Mas faço e continuarei a fazer tudo aquilo que quero, porque estando em posição de liderança ou não, o importante mesmo é ser feliz!

Portanto, não acredite em fórmulas ou em passos que você deve dar para ser uma boa líder. Acredite, sim, em você mesma, busque o autoconhecimento para saber melhor quais são os seus talentos e que fraquezas precisa complementar. Seja você mesma, com seu jeito de pensar, agir, de vestir, de se maquiar, de se portar, e acima de tudo, tenha um propósito e uma causa! É desse modo que os grandes líderes sempre venceram e é assim que eu tenho a certeza de que você vai realizar os seus sonhos e, sobretudo, ter uma vida plena e feliz!

Leia também:

O poder da mente e do autoconhecimento no esporte

MIndfullness – atenção plena no presente      

Em busca constante pelo autoconhecimento 

Coaching ou Mentoring? Escolha a melhor opção para seu autodesenvolvimento    

Nosso propósito de vida é um chamado da alma

Descobrir seu propósito é fundamental para uma vida plena 

Busque seu propósito. Deixe  seu legado.

Rê Spallicci