Gestão e Liderança

Guerreiros não nascem prontos

Autor do best-seller “O Voo do Cisne”, José Luiz Tejon Megido fala sobre seu novo livro e sobre superação, em entrevista exclusiva.

 29 de outubro de 2016
9 min de leitura



José Luiz Tejon Megido é um homem de muitos talentos. Reconhecido como um dos maiores conferencistas internacionais no tema superação, é publicitário, jornalista e escritor, tendo mais de 33 livros lançados como autor ou coautor. Entre eles, “O Voo do Cisne”, best-seller que chegou à  13ª edição, e o lançamento “Guerreiros não nascem prontos”, que contém histórias emocionantes de superação. Mestre em arte e cultura pela universidade Mackenzie, com diversas especializações no exterior –  e doutorando em Ciências da Educação, possui também uma carreira de executivo, tendo sido diretor dos grupos Agroceres, Jacto e Estadão.

Esse hoje homem de sucesso, Tejon foi filho de mãe solteira, nascida na Espanha e que desembarcou no porto de Santos com seis meses de gravidez. Assim que ele nasceu, por não conseguir sustentá-lo, sua mãe o entregou para adoção a um casal de imigrantes, também pobres e trabalhadores, que não podiam ter filhos. Sua mãe biológica foi para a Argentina tentar melhorar de vida; lá faleceu, e ele nunca a conheceu. Aos quatro anos. Tejon sofreu uma terrível queimadura, destruindo-lhe completamente a face. Foi salvo por milagre, não ficou cego por impressionante sorte. Ingeriu e danificou seus pulmões numa mistura de cera com gasolina, os elementos provocadores desse acidente doméstico.

Mas nada disso foi suficiente para deter essa pessoa inquieta, estudiosa e de fibra que fez de cada dificuldade uma plataforma para voos mais altos. Nessa entrevista, Tejon nos fala sobre seu mais recente livro, “Guerreiros não nascem prontos”, que ensina como a sabedoria dos grandes guerreiros pode nos ajudar a conquistar sonhos. “Este livro fala de lutas. Lutas que nos servem de exemplo, que nos ensinam estratégias. Lutas que mostram que não é fácil correr atrás daquilo que queremos.”

 

Site Renata Spallicci – Conte-nos um pouco  como surgiu a inspiração para o seu mais recente livro: Guerreiros não nascem prontos.

José Luiz TejonMegido – É uma historia longa que vem de vários livros antes. No anterior, o Código da Superação, que escrevi em paralelo com um doutorado em Ciências da Educação e uma tese chamada “ A Pedagogia da superação” tirei a conclusão de que ninguém nasce pronto, mas que somos o resultado dos outros. Por isso, passa a ser vital quem escolhemos para nos inspirar.

 

SRS – E como foi o processo de pesquisa e de escrita? Quanto tempo gestou esse novo trabalho?

JLTM – O doutorado foram cerca de três anos e, durante todo esse tempo, fui trabalhando nisso. O livro não retrata a tese, apenas utiliza seus principais insumos.

 

SRS– Este novo livro mostra que mesmo líderes consagrados passaram por obstáculos e provações. Qual o fator comum que apontaria em todos eles para atravessarem dificuldades e alcançarem o sucesso?

JLTM – Aprender, aprender e aprender. Assim inicio o livro. Os grandes

líderes têm uma capacidade gigantesca de aprender, em cada detalhe, em cada fracasso ou êxito. E se pararem de aprender, estacionam.

 

SRS – O que as histórias desses líderes podem ensinar aos leitores?

JLTM – Ensinam que existe sempre uma ideia inovadora, um conceito, um salto. A partir de um sentido que domina o foco do LÍDER, ele passa a buscar o como e, além disso, o quem.  A escolha de com quem você vai ao futuro determina quase todo seu êxito. Mas também existe a lei da incerteza, do acaso, dos encontros e de estar com a sensibilidade ampliada para esse intangível, coisa fundamental e clara.

 

SRS –  O senhor é um dos mais conhecidos conferencistas no Brasil e também possui uma carreira internacional, sendo a  superação  o tema principal de suas palestras. Como conseguiu tornar a sua história de superação em um processo que possibilite aprendizado para as outras pessoas?

JLTM – Nunca pensei nisso. E trabalhei tendo uma carreira de sucesso antes de usar a palavra superação, pois superação é o que você faz enquanto vive para gerar valor a partir da sua própria vida sob quaisquer circunstâncias. O salto ocorreu pelo estímulo de um amigo de infância, o Roberto Shinyashiki, que, ao invés de escrever mais um livro profissional, me pediu que escrevesse um livro contando minha historia. Isso ocorreu já depois dos meus 50 anos e, a partir desse livro, o “Voo do Cisne”, o assunto das palestras surgiu. Daí para frente me dediquei a esse estudo, o que nunca havia passado pela minha cabeça até então.

 

SRS– Existe uma fórmula para buscar a superação?

JLTMTrabalhar, criar valor em tudo o que fizer, a partir da sua própria vida, sob quaisquer circunstâncias. Não abandonar a si mesmo e jamais se permitir ser uma vítima. Foco: na vida e no amor à vida. E, claro, somos o resultado dos nossos relacionamentos. Por isso, a partir da fase em que já dominamos nosso cérebro, precisamos buscar mentores e guias.

 

SRS– Estamos vivendo um período complicado no Brasil de crise econômica e mais do que nunca os profissionais têm que se superar. Qual o segredo para buscar a superação tanto no trabalho como na vida?

JLTM – Muito simples: compreender que a história humana sempre foi repleta de crises, confrontos e incômodos. Aceitar o incômodo como uma alavanca para o progresso evolutivo humano e pronto. Definir em qual lado das forças você vai lutar, pois a vida na natureza e no universo pressupõe lutas permanentes, mas isso deve ser feito com alegria, pois representa estar vivo. E quem está vivo corre sempre o risco de vida, senão não estaria vivo.

 

SRS – Muitas pessoas ligam a superação a uma força interior como algo que nasce com a pessoa. Mas é possível também buscar capacitação para superar obstáculos, não é?

JLTM – Tudo para um ser humano é possível, se quiser muito aprender. Porém, a fase infantil tem importância gigantescamente vital. Os pais, ou mentores na infância,são sagrados no preparo humano para a vida e suas lutas.

 

SRS – Nesse sentido, como que líderes podem incentivar um indivíduo a superar suas dificuldades e tornar-se um profissional melhor?

JLTM – Meritocracia, métricas justas e negociadas, feedback constante, e celebração dos pequenos passos de desenvolvimento. E claro, leitura do dom e da vocação de cada pessoa e autocrítica. Sobre os pontos mínimos, de cada ser humano, quer dizer, aquilo que nos falta e o que precisa ser complementado pela gestão e pela equipe.

 

SRS – Entre as várias belas histórias do seu último livro qual lhe deu mais prazer de compartilhar e por  quê?

JLTM – Sempre será a história de meus pais adotivos: Rosa e Antônio. A eles devo tudo o que sou. Ensinaram-me a ser um guerreiro, quando eu era ainda uma criança queimada e debilitada. Fora esta, minha e pessoal, todas as demais guardam pontos contagiantes de riqueza.

 

SRS – Independente de estar ou não no seu livro, quais os guerreiros que mais o inspiraram em sua vida?

JLTM – Meus pais adotivos: Rosa e Antônio e meus tios adotivos, Irene e Joaquim.

Minha mãe biológica, que deu a vida para eu nascer, a Benigna, de Astúrias – Espanha. Meus amigos moleques da minha rua onde cresci na vila Belmiro, em Santos. Os pais dos meus amigos da rua, vizinhos, que me tratavam como a seus filhos. Dona Helena Amorim, vizinha que salvou minha vida no acidente e depois me ensinou a tocar violão, me dando a música. Amigos como o Benito, o Shinyashiki. Profissionais e líderes como Nishimura, Ney Bittencourt de Araújo. Amigos, grandes amigos, significam o maior patrimônio de um ser humano. Mas, acima de tudo, minha família adotiva: eles foram fundamentais. Em tudo…

 

renata-tejon-2

 

José Luiz Tejon Megido é Doutor em Ciências da Educação pela Universidad de La Empresa, no Uruguai. Mestre em arte e cultura pela Universidade Mackenzie. Professor convidado da Audencia Nantes École Management – França (Master of Science Management), Coordenador Acadêmico de Programas da FGV in Company, Coordenador Acadêmico de Pó- Graduação e Coordenador do Núcleo de Agronegócio da Escola Superior de Propaganda e Marketing – ESPM/SP. Atua também como professor convidado de diversas universidades brasileiras. Medalha do mérito acadêmico ESPM 2013/2014. Especializou-se em Agribusiness pela Harvard Business School, de Boston (USA). Em Marketing pela Pace University de Nova Iorque (USA). Em “New Mídia” pelo MIT, Boston (USA) e Liderança pela INSEAD, Fontainebleau (França). Tejon é considerado uma das maiores autoridades nas áreas de gestão de vendas, marketing em agronegócio, liderança, motivação e superação humana. Troféu Great Speakers Olmix em Paris, França. Desde 2015 passou a integrar o Hall da Fama pela ABRAMARK e, em 2016, recebeu o Prêmio Destaque Imprensa pela AEASP.

 

Busque seu propósito. Deixe seu legado.

Rê Spallicci








Abrir Conversa
Fale comigo!
Abrir Conversa
Fale comigo!