fbpx Livro cinco virtudes essenciais – Renata Spallicci fala sobre sua visão do livro dos autores Bob Deutsch e traz um resumo dos principais pontos abordados na obra

RENATA SPALLICCI

Realização

15/03/2018

Livro “As cinco virtudes essenciais” mostra a importância da autenticidade

Meu mais recente livro de cabeceira pode transformar a sua vida, tornando-a mais autêntica e feliz!

Quem me conhece e me segue sabe que eu amo ler! Acredito que a leitura é  nossa principal fonte de conhecimento e enriquecimento cultural. Por meio dela nos inspiramos, aprendemos, melhoramos nossa desenvoltura ao falar, nossa escrita, raciocínio, enfim, ler é tudo de bom!

Sou aquela louca que sempre que passa por uma livraria acaba entrando e ficando horas e horas. Depois, quando sai, está toda carregada… RS. Um dos livros que eu garimpei nessas minhas incursões e li neste ano, e que já se transformou em um dos meus muitos de cabeceira é “As cinco verdades essenciais: passo a passo para uma vida mais autêntica”.

O livro é de autoria de Bob Deutsch Ph.D., que sempre atuou em diversas áreas: neurociência cognitiva, antropologia, diplomacia e empreendedorismo,  e Lou Aronica, autor de livros de ficção e não ficção que figuraram na lista de best-sellers do New York Times e do USA Today.

A obra me cativou por abordar temas que são muito valiosos para mim, como autoconhecimento, autenticidade, valorização dos nossos talentos, personalidade, entre muitos outros que vou tentar resumir neste artigo para vocês!

 

As cinco virtudes 

Livro As Cinto Virtudes Essenciais

 

Segundo os autores, são cinco virtudes que devemos alimentar para que tenhamos uma vida aderente àquilo em que acreditamos e, consequentemente, mais plena e feliz!  São elas: Curiosidade, Abertura, Sentidos, Paradoxo e História Pessoal.

Vou passar a falar sobre cada uma delas, de acordo com meu entendimento e trechos da obra.

 

A curiosidade

Eu sou uma pessoa megacuriosa e sempre dei valor a esta minha característica. Aliás, fiz um artigo bem bacana abordando O poder da curiosidade. Mas, voltando ao livro, para os autores, a curiosidade é algo supersimples, mas que tem um poder transformador em nossas vidas. Quando se é curioso e se busca com paixão e inquietude, temos a oportunidade de descobrir algo que nunca previmos, e tal descoberta pode fazer parte de nossa vida de forma que nem imaginamos.

O que leva à curiosidade é a paixão pelo conhecimento. Uma pessoa curiosa colhe novas informações, abraça desafios e comemora o fato de ser retirada de sua zona de conforto. A curiosidade nos obriga a descobrir algo novo, cavar mais fundo nos assuntos que já conhecemos ou nos expormos a experiências comuns, de maneira incomum. É uma ferramenta incrível, que faz com que vejamos o mundo como um lugar de possibilidades infinitas. Por isso, é um dos valores essenciais que devemos cultivar.

 

Abertura

O segundo valor tem tudo a ver com o primeiro.  Estar aberto significa estar disposto a abraçar novas ideias. Afinal, de que adianta cultivarmos a curiosidade, se não estivermos abertos para assimilar e incorporar os fatos que aprendemos por meio dela?

Ter abertura significa procurar novas respostas, fazer novas perguntas, destruir paradigmas e quebrar crenças. Um trecho do livro bem interessante sobre o tema abertura é quando o autor expõe que conversou com vários pequenos empresários de sucesso e percebeu que todos eles tinham essa característica como algo aguçado.

De acordo com o autor, as entrevistas com esses empresários revelaram que todos eles, em  momentos especiais de suas vidas, tiveram de aceitar novos desafios e que eles só foram possíveis de serem alcançados, porque estavam abertos ao novo.

Quando se tem abertura, se pode começar algo sem saber aonde vai terminar, sem a necessidade de controle absoluto sobre tudo. Abertura pressupõe novas possibilidades e estar pronto para o imprevisível.

 

Sentidos

Para uma vida mais autentica, o livro nos ensina que devemos lançar mão de todos os nossos sentidos. Quando permitimos que eles entrem em ação, paramos de andar somente na superfície da nossa existência e passamos a interagir com o mundo de forma mais rica.

Trabalhar os sentidos é sentir a experiência da própria experiência e passar a um novo nível de consciência sobre o que se passa em seu interior e ao seu redor.

Em outras palavras, é o tão falado autoconhecimento, tecla em que tanto bato… rs.   Aliás, você pode saber mais sobre autoconhecimento lendo meu artigo Autoconhecimento é a chave para o crescimento pessoal.

 

Paradoxo

Este foi um dos valores que achei mais interessante! Explica que o mundo nunca é somente uma coisa ou outra, e que há uma magia em se usar o conectivo “e” – um  dos elementos mais libertadoras do idioma.

Principalmente por estarmos tão polarizados em todos os aspectos da sociedade, entender o paradoxo como algo essencial para uma vida mais completa é algo libertador.

A verdade é que tudo é uma mistura disso e daquilo, e que nós somos paradoxais em nossa própria existência. Aceitar o paradoxo é ver o mundo sempre por muitas facetas e não por um viés único.

Para os autores, ao aceitarmos nossos paradoxos, passamos a ser quem de fato somos. “É importante que você não se ache demais e que você honre a importância que tem, que tenha cuidado e seja arrojado, que acredite e questione todas as suas decisões”…

O paradoxo nos leva às coisas mais interessantes da vida porque, ao unir aspectos  que, a princípio, parecem díspares, abrimos um porto para a criatividade e o crescimento.

 

Historia pessoal

“A sua história pessoal é o padrão recorrente do seu ser, é a força motriz por trás do seu eu mais profundo de forma completa com sua beleza e sua feiura, com seu brilho e sua escuridão.” A história pessoal consiste em você aceitar os seus dois lados: seus talentos e defeitos. Afinal, o que nos torna únicos e aquilo que realmente somos são também nossas imperfeições.

Lembrei aqui de uma banda de que eu gosto muito, o U2. Conta-se que, no início,  eles não eram nada bons e, por isso, criaram um jeito novo de tocar dentro de suas  limitações. Foi assim que surgiu o estilo da banda que depois conquistou o mundo!

Ao entender, aceitar e explorar a sua história pessoal, você passará  a compreender melhor os caminhos por onde está indo e a fazer as escolhas certas, de acordo com a sua vida e com aquilo que você realmente deseja.

“O mero entendimento do que somos nos deixa mais à vontade conosco e nos infunde um sentido de propósito de viver as nossas histórias… Nossa história pessoal nos impulsiona, pois, uma vez que você tem uma noção do que você é, é possível estabelecer um compromisso com essa ideia e você pode seguir adiante com confiança rumo ao embelezamento dessa ideia, adotando comportamentos que a reforcem e rejeitando aqueles que a empobrecem.Isto nos permite viver autenticamente, tomar decisões contextualizadas e nos afastarmos de coisas que contrariem a nossa essência.”

 

Conclusão

O livro vale a pena ser lido em sua totalidade, e eu recomendo, porque nos proporciona a possibilidade de aprendermos a fazer o uso completo de nossos recursos internos.

Ao entendermos e cultivarmos nossos cinco valores essenciais, chegaremos a quem realmente somos, com nossa visão de mundo e perspectiva sobre o funcionamento do universo.

Isso tem muita conexão com aquilo em que acredito, prego e pratico em minha vida, para que possa viver de forma menos superficial, aprofundando a minha existência.

Usando uma imagem do autor, eu desejo que você esteja sempre a caminho de casa, buscando continuamente a pessoa que está destinada a ser, com autenticidade, e lembrando sempre que mais importante do que o destino é a jornada.

Ao final do livro, o autor nos fala da importância de compartilhar aprendizado, contribuir com o crescimento das pessoas e disseminar conhecimento.

Ele nos dá o exemplo da pop star Lady Gaga que diz que sua missão de vida é ser uma professora para seus fãs,  ajudando-os a se libertarem dos seus medos. Se nós compartilharmos o melhor que temos, certamente teremos um mundo melhor para todos.

Creio que não há presente melhor que uma pessoa possa oferecer à outra, e é por isso que meu propósito é inspirar as pessoas para que possam atingir a sua plenitude. Espero que este artigo tenha contribuído para isso.

“Todos nós precisamos que você seja a pessoa que você é. Todo mundo se beneficia com essa vitalidade e plena felicidade, e o mundo com mais presenças vitalizadas é um mundo melhor e é o que todos queremos construir.”

Leia também

O primeiro passa para ser feliz é ser você

Autoconhecimento é a chave para o crescimento pessoal.

O poder da curiosidade

Busque seu propósito. Deixe o seu legado.

Rê Spallicci

Renata Spallicci

Atleta profissional fisiculturismo WBFF, executiva, empresaria, coach, influenciadora digital, escritora, palestrante motivacional e realizadora social fundadora do movimento Fit do Bem.

renataspallicci.com.br
fitdobem.com.br
dosonhoarealizacao. com.br