fbpx saúde mental coronavírus– proteja sua mente para suportar o estresse da quarentena - Renata Spallicci

Como proparar sua mente para sobreviver à quarentena

RENATA SPALLICCI

Saúde

26/03/2020

Como preparar sua mente para sobreviver à quarentena

Saiba como preparar sua mente para suportar o momento de isolamento social

Estamos vivendo um cenário pelo qual,  certamente, boa parte de nós nunca imaginou passar. Em pouco tempo, a quarentena e o distanciamento social utilizados como método para combater o crescente surto de coronavírus tornaram-se comuns em nossas vidas, e nos vemos em uma situação totalmente nova e impensada.

Estamos presos em nossas casas, com nossas rotinas duramente afetadas, com o risco de uma iminente crise econômica associada à crise de saúde que já vivemos!

Entendendo que as medidas tomadas são consideradas pelos médicos especialistas como necessárias para reduzir a propagação do vírus, temos que nos preparar para lidar com esta nova realidade e, neste sentido, as implicações para o bem-estar mental das pessoas não podem ser negligenciadas.

De ansiedade a estresse pós-traumático

Um estudo recente da revista médica “The Lancet”  observa que o impacto psicológico da quarentena pode ser grande, resultando em uma série de problemas de saúde mental, desde ansiedade e raiva a distúrbios do sono, depressão e transtorno de estresse pós-traumático (TEPT).

E é claro que a questão mental não se resume ao problema do isolamento, mas é inflada por  outra série de causadores de estresse que nos acompanha neste período: medo da doença propriamente dita, sensação de tédio, receio de não termos os suprimentos inadequados, riscos de perda financeira, saudades dos familiares, entre outros pontos.

Isso pode ser um problema não apenas para pessoas com problemas de saúde mental preexistentes, mas também para pessoas com boa saúde psicológica.

Reconhecendo o problema, a Organização Mundial da Saúde divulgou nesta semana orientações sobre como as pessoas podem proteger sua saúde mental durante o surto.

O que os governos podem fazer

Todos os entes da sociedade devem trabalhar de forma harmônica para garantir a saúde mental de todos. Segundo o relatório da OMS, os governos podem ajudar neste ponto, por meio de uma comunicação eficaz das medidas de quarentena, com ênfase em sua justificativa altruísta, minimizando a duração e garantindo suprimentos suficientes.

Infelizmente, aqui no Brasil, não vemos tais procedimentos  partirem de todos os nossos governantes. Enquanto o Ministério da Saúde e governadores estaduais parecem entender a extensão do problema, vemos ainda  certo descompasso entre eles e o presidente da República, criando, assim,  uma sensação de dúvida para boa parte da população.

Além disso, o ideal seria que os governos pensassem também formas de amparar as pessoas na questão mental, não somente médica e financeira.

Existe uma crença predominante de que, em qualquer crise, você lida primeiro com os problemas físicos, depois com os problemas de saúde mental. Mas esquecemos de que precisamos de pessoas mentalmente fortes para lidarem com os desafios futuros que nos serão impostos.

O que os empregadores podem fazer

Assim como os governos, os empregadores também têm um papel a desempenhar na proteção da saúde de seus funcionários e no fornecimento de garantias neste momento.

A transparência é fundamental em todos os momentos de angústia; portanto, os locais de trabalho e as equipes de RH devem praticar uma comunicação clara e disseminar atualizações sobre o vírus e os protocolos atuais.

O que nós podemos fazer

Mas é claro que não podemos deixar nossa saúde mental na mão dos governantes ou das empresas, e precisamos, acima de tudo, fazer a nossa parte! À medida que mais e mais pessoas enfrentam as perspectivas de várias semanas de quarentena ou distanciamento social, precisamos estabelecer maneiras de preservarmos a saúde mental em nossas casas.

Por isso, compilei o conselho de especialistas em Psicologia, bem como de vários órgãos de saúde, para que você possa organizar sua vida e sua mente para superarmos juntos este importante desafio:

Crie uma rotina – nada de ficar o dia todo de pijama! Tire seu pijama, tome banho e faça todas as coisas que você faria todos os dias para criar uma sensação de normalidade e produtividade.

Divida o seu dia – encontre tarefas para o seu dia e, sempre que possível, mude o seu ambiente para diferentes atividades.

Cuide do seu corpo – Coma saudavelmente, durma bastante e faça exercícios diariamente. Isso pode incluir a realização de aulas de ginástica indoor, alongamento e prática de meditação (já dei dicas sobre isso no artigo prática de exercícios é fundamental para quarentena).

Ajude outras pessoas – se você não estiver sujeito a regras estritas de isolamento e estiver em condições de fazê-lo, encontre maneiras de apoiar os necessitados, oferecendo-se para fazer compras, por exemplo.

Mantenha-se conectado – Aproveite ao máximo a tecnologia e mantenha contato com colegas, amigos e familiares por meio de telefonemas, textos, mídias sociais e videoconferência.

Limite o consumo de mídia – Mantenha-se informado sobre a situação por fontes confiáveis, mas limite suas notícias e o consumo de mídia social para evitar sentir-se sobrecarregado.

Lute contra o tédio – Aproveite ao máximo as séries de TV, leia e explore projetos que você está adiando, a fim de  vencer o tédio e permanecer mentalmente ativo. Há uma série de cursos on-line disponibilizados por instituições como FGV e Udemy que pode  ajudá-lo a se capacitar neste período.

Evite esgotamento – Defina limites estritos ao seu trabalho para evitar sobrecarregar-se e ter tempo para relaxar.

Concentre-se nos aspectos positivos – Amplie boas notícias e honre os profissionais que trabalham incansavelmente para resolver a situação.

Viva um dia de cada vez – tente não projetar muito longe no futuro. Lembre-se de que são medidas temporárias, e você não está sozinho.

“Mantenha contato com as pessoas – virtualmente – , se envolva em atividades que lhe dão prazer e uma sensação de significado. Faça o que puder para ajudar os outros, um antídoto notável para a depressão.

Bom, é isso! De minha parte estarei aqui durante todo este período com informações que julgo relevantes para ajudar  todos a passarem por este momento. Vamos ter calma, fé e força para superar esta crise. Com a união de todos, certamente vamos conseguir superar esta fase!

Leia também:

Prática de exercícios é fundamental para quarentena.

Coronavírus: o que é e como se prevenir

Reforce sua imunidade contra o coronavírus

Busque seu propósito. Deixe seu legado.

Rê Spallicci

Renata Spallicci

Atleta profissional fisiculturismo WBFF, executiva, empresaria, coach, influenciadora digital, escritora, palestrante motivacional e realizadora social fundadora do movimento Fit do Bem.

renataspallicci.com.br
fitdobem.com.br
dosonhoarealizacao. com.br