Setembro Amarelo – Depressão aumenta risco de suicídio

RENATA SPALLICCI

Saúde

10/09/2020

Setembro Amarelo – Depressão aumenta risco de suicídio

Como identificar e tratar a depressão

8 min de leitura

Como escrevi aqui na semana passada, setembro é o mês de prevenção ao suicídio, um ato que vem tirando a vida de mais de 800 mil pessoas por ano no mundo. Por isso, ao longo deste mês, trarei artigos sobre o tema, cumprindo o meu propósito de informar e conscientizá-los  todos sobre a importância de discutirmos o assunto.

Suicídio e depressão

Suicídio e depressão

Hoje, quero falar sobre uma doença que aumenta muito as chances de suicídio: a depressão! Embora  não possa matar diretamente, assim como uma doença como o câncer ou a tuberculose, ela pode causar efeitos que aumentam o risco de morte.

E uma das principais maneiras pelas quais a depressão pode levar à morte é se os sintomas negativos resultarem na decisão de uma pessoa tirar a própria vida.

Isso porque a depressão pode fazer as pessoas se sentirem desamparadas e sem esperança, levando-as a chegar à infeliz conclusão de que o suicídio é a única maneira de acabar com o sofrimento.

A American Association of Suicidology estima que a depressão esteja presente em cerca de metade de todos os suicídios.

O que é depressão?

A depressão e as doenças depressivas são classificadas como transtornos do humor na área médica, incluindo tudo, desde a depressão grave até a distimia.

Eles têm uma série de sintomas que afetam as pessoas social, ocupacional, educacional e interpessoalmente, entre outros.

Como alguém fica deprimido? Basicamente é assim que funciona: os nervos em nosso cérebro não se tocam, mas passam mensagens de um para o outro, por meio de substâncias químicas chamadas neurotransmissoras.

Precisamos apenas da quantidade certa dessa substância química entre os nervos para passar a mesma mensagem exata para o próximo nervo. Se não houver quantidade suficiente desse produto químico, a mensagem não será transmitida corretamente e, nesse caso, pode ocorrer depressão ou doença depressiva. Quando se trata de transtornos depressivos, os produtos químicos mais frequentemente desequilibrados são a serotonina e a epinefrina. Uma pessoa que vive com depressão nem sempre tem os mesmos pensamentos que uma pessoa saudável. Esse desequilíbrio químico pode fazer com que a pessoa não compreenda as opções disponíveis para ajudá-la a aliviar seu sofrimento.

Muitas pessoas que sofrem de depressão relatam que se sentem como se tivessem perdido a capacidade de imaginar um futuro feliz ou de lembrar um passado feliz. Frequentemente,  não percebem que estão sofrendo de uma doença tratável, e a busca de ajuda  nem  passa pelas mentes delas.  

Emoções e até mesmo dores físicas podem se tornar insuportáveis. Eles não querem morrer, mas é a única maneira de sentir que a dor vai acabar. É uma escolha verdadeiramente irracional. Sofrer de depressão é involuntário, assim como câncer ou diabetes, mas é uma doença tratável que pode ser controlada.

Uma pessoa suicida pode mascarar sua depressão?

Claro, eles podem e, às vezes, fazem. Mas todos nós podemos estar mais cientes dos sinais e sintomas da depressão para ajudarmos  as pessoas de quem gostamos a obter o tratamento necessário para aliviar a dor.

Além disso, como muitas pessoas que estão deprimidas não conseguem ver seus sintomas, temos que ser seus olhos e ouvidos para que ajudem a SALVAR suas vidas. Muitas pessoas que sofrem de depressão, e até mesmo pensam em suicídio, escondem seus sentimentos e parecem estar felizes um pouco antes da tentativa de suicídio. Isso muitas vezes confunde  quem está ao seu redor, pois por tanto tempo  vinham sofrendo e parecendo deprimidas, e, de repente, parecem estar melhores. No entanto, não raro, uma pessoa que é suicida dará pistas sobre o quão desesperada está. É fundamental que você se familiarize com os sintomas da depressão e os sinais de alerta do suicídio, e não tenha medo de fazer perguntas diretas sobre os sentimentos da pessoa com a qual você está preocupado. Afinal, isso pode ser o que salvará a vida dela!

Mas será que conversar ajuda a tratar a depressão, você deve estar se perguntando? Sim, pode estar certo disso!

Falar ajuda a tratar a depressão. No entanto, a combinação de psicoterapia e medicação antidepressiva é a forma mais eficaz de tratá-la. Em alguns casos, psicoterapias bem apoiadas, como terapia cognitivo-comportamental ou terapia interpessoal, podem aliviar consideravelmente os sintomas de depressão. No entanto, um médico deve sempre supervisionar qualquer tipo tratamento.

As doenças depressivas podem ser tratadas?

Sim. Existem várias maneiras de tratar doenças depressivas, dependendo do tipo de doença, da gravidade e da idade da pessoa que está sendo tratada. Uma pessoa que sofre de depressão não deve tentar controlar a doença por conta própria. Conhecer e reconhecer os sinais da doença depressiva ajuda a evitar o sofrimento desnecessário disponível, por meio  do tratamento.

A depressão é uma condição como diabetes ou pressão alta que pode ser controlada de forma eficaz com a ajuda de profissionais de saúde mental, incluindo médicos, enfermeiras, psicólogos e terapeutas, assistentes sociais, clérigos, membros da família e apoio da comunidade.

Pesquisas mostram que uma combinação de medicação antidepressiva e psicoterapia é o tratamento mais rápido e eficaz. Frequentemente, a medicação antidepressiva é necessária para ajudar a pessoa a pensar com mais clareza na psicoterapia. Existem vários tipos de psicoterapia, mas dois têm se mostrado benéficos no tratamento de doenças depressivas:

A terapia cognitiva se concentra em tentar mudar o pensamento negativo de uma pessoa e as percepções imprecisas que ela tem de si mesma e de seu ambiente. As pessoas são ensinadas a pensar logicamente e a evitar conversas internas negativas.

A terapia interpessoal ensina uma pessoa a interagir com sucesso com os outros. As doenças depressivas interferem na maneira como uma pessoa trata sua família, amigos e colegas de trabalho, o que afeta a maneira como eles a tratam. A terapia interpessoal se concentra nas habilidades sociais.

Procure ajuda sempre

Se você tiver um problema de saúde e apresentar sintomas de depressão, converse com seus familiares claramente e procure um médico. E junto a um plano de tratamento individual que você e seu médico irão desenvolver para tratá-la, você também pode empregar algumas estratégias de autoajuda para ajudar a evitar sentimentos de tristeza ou vazio.

Aqui estão algumas ideias:

Ligue para um amigo ou parente próximo

Dance ao som da sua música favorita

Entre em uma academia para fazer exercícios, um estimulante natural do humor

Mantenha um diário

Caminhe ou acaricie seu animal de estimação

Pinte e desenhe

Use técnicas de relaxamento, como ioga

Lembre-se:  quando você está deprimido, pode parecer que sua vida nunca vai melhorar e nada vai ajudar, mas não é o caso. A depressão, como vimos, é altamente tratável com medicamentos como antidepressivos, psicoterapia ou uma combinação dos dois.

Converse com seu médico sobre seus sintomas, mas sempre procure os serviços de emergência imediatamente, se estiver em perigo imediato.

Leia também

Suicídio: uma pandemia silenciosa

Setembro amarelo: a importância da prevenção ao suicídio

Uma mão amiga pode ajudar a transformar e salvar vidas

Busque seu propósito. Deixe o seu legado.

Rê Spallicci

Renata Spallicci

Empresária, escritora, palestrante, coach e influenciadora digital, empreendedora, rainha de bateria da Barroca Zona Sul e campeã de fisiculturismo, Renata é inspiração para que as pessoas busquem, sempre, se autoconhecer e assim superar os desafios e trilhar a jornada rumo à realização dos seus sonhos.

renataspallicci.com.br
fitdobem.com.br
dosonhoarealizacao. com.br