Dieta Low Fodmap

RENATA SPALLICCI

Dietas

13/09/2018

Conheça a dieta Low FODMAP

Plano alimentar é recomendado para pessoas com problemas intestinais

A busca pelo corpo perfeito e por perder aqueles quilinhos a mais, muitas vezes nos leva a querer conhecer toda e qualquer dieta que surja, prometendo resultados rápidos e consistentes.

Entretanto, o que eu sempre faço questão de relembrar é que nem todo organismo se comporta da mesma maneira, e que, consequentemente, nem toda dieta é recomendada para todos!

Ultimamente, tenho visto muita gente falando sobre a dieta Low FODMAPS como uma forma de diminuir o inchaço abdominal e até mesmo para emagrecer. Mas a verdade é que esta dieta é recomendada para pessoas que apresentam uma condição de saúde bem específica. Neste artigo, explicarei mais sobre ela: recomendações, benefícios e precauções.

Que é a dieta Low Fodmap?

Dieta Low Fodmap - O que é?

A dieta FODMAP foi desenvolvida na Universidade de Monash, em Melbourne, Austrália, por Peter Gibson e Susan Shepherd, em 2010, e é clinicamente recomendada para o tratamento da Síndrome do Intestino Irritável (SII).

FODMAP é um termo acrônimo, em inglês, para “Fermentable​​ Oligosaccharides, Disaccharides, Monosaccharides and Polyols”, ou seja, oligossacarídeos (frutanos e galactanos), dissacarídeos (lactose), monossacarídeos (frutose) e polióis fermentavéis.

Ou seja, pela dieta FODMAP, a pessoa deve evitar algumas frutas, vegetais, cereais, oleaginosas, leguminosas e lácteos com lactose, por serem fonte de alguns tipos de carboidratos que fermentam, como a frutose, lactose, oligossacarídeo e poliol.

Esses são os termos científicos usados ​​para classificar grupos de carboidratos notórios por desencadearem sintomas digestivos, como inchaço, gases e dor de estômago.

Alimentos FODMAPs

Os FODMAPs são encontrados em uma grande variedade de alimentos, em quantidades variadas. Alguns alimentos contêm apenas um tipo, enquanto outros contêm vários.

As principais fontes alimentares dos quatro grupos de FODMAPs incluem:

Oligossacarídeos: trigo, centeio, legumes e várias frutas e legumes, como alho e cebola.

Dissacarídeos: Leite, iogurte e queijo mole. A lactose é o principal carboidrato.

Monossacarídeos: Várias frutas, incluindo figos e mangas, e adoçantes, como mel e néctar de agave. A frutose é o principal carboidrato.

Polióis: certas frutas e legumes, incluindo amoras e lichia, bem como alguns adoçantes de baixa caloria, como aqueles em goma sem açúcar.

Onde os FODMAPs são encontrados?

Onde os Fodmaps sao encontrados?

Benefícios de uma dieta Low-FODMAP

Uma dieta com baixo teor de FODMAP restringe alimentos ricos em FODMAP, trazendo inúmeros benefícios para as pessoas que apresentam os sintomas da Síndrome do Intestino Irritável, conforme mais de 30 estudos comprovaram.

Segundo alguns deles, ao seguir uma dieta com baixo teor de FODMAP, as chances de melhorar a dor de estômago e o inchaço são 81% e 75% maiores, respectivamente, além de ajudar a controlar flatulência, diarreia e constipação.

Há também algumas evidências mostrando que uma dieta pobre em FODMAP pode aumentar os níveis de energia em pessoas com SII.

Quem deve seguir uma dieta de baixo FODMAP

Entretanto, o ponto fundamental que quero destacar  é que a dieta FODMAP não é para todos. A menos que você tenha sido diagnosticado com SII, pesquisas sugerem que a dieta pode ser mais prejudicial do que benéfica.

Isso ocorre porque a maioria dos FODMAPs são prebióticos, o que significa que eles são essenciais para o crescimento das boas bactérias intestinais.

Agora, se você tem problemas intestinais contínuos que não responderam aos conselhos dietéticos de primeira linha, incluindo a restrição de álcool, cafeína, alimentos condimentados e outros alimentos desencadeantes comuns, aí sim, a dieta pode ser uma boa para você!

Os estágios da Dieta FODMAP

Por ser uma dieta médica e indicada para um tipo bem específico de indivíduos, a

dieta com baixo teor de FODMAP é mais complexa do que se imagina e envolve duas grandes fases.

Como um esboço geral, estas duas fases são descritas abaixo. No entanto, lembre-se de que não existe uma abordagem única para dieta low FODMAP, e ela será mais eficaz e nutricionalmente adequada, quando for adaptada por um nutricionista para cada indivíduo.

É importante que você não confie na leitura de informações na Internet, em livros e em outras literaturas para fazer o autodiagnóstico e seguir a dieta por conta própria. Recomendo que, primeiramente, consulte o seu médico para o diagnóstico, e, em seguida, trabalhe com um especialista em nutrição.

Fase 1

A primeira fase da Dieta do Baixo FODMAP geralmente envolve a restrição rigorosa de todos os alimentos ricos em FODMAP por 4-6 semanas. O nutricionista ajudará a identificar esses alimentos e sugerirá alternativas para garantir que a dieta seja nutricionalmente adequada. A resposta do sintoma durante esse período deve ser notada, e uma consulta com o nutricionista fornecerá orientação sobre a segunda fase.

Fase 2

A segunda fase é quando os alimentos que foram restringidos na primeira fase são reintroduzidos gradualmente, e a dieta é liberada para se adequar a cada indivíduo. É a fase em que o tipo e a quantidade de FODMAPs que podem ser tolerados pelo indivíduo são identificados para que sua dieta de longo prazo possa ser estabelecida. É muito importante determinar o nível de FODMAPs que podem ser confortavelmente tolerados, de modo que os efeitos prebióticos dos FODMAPs possam ser aproveitados, e a dieta não seja excessivamente restritiva. O nutricionista fornecerá orientações sobre o processo de reintrodução para ajudar a minimizar os sintomas e garantir a máxima variedade na dieta. O resultado final deve ser uma dieta de longo prazo que seja mais baixa nos FODMAPs problemáticos para o indivíduo do que foi originalmente consumida, mas não tão restrita como na primeira fase da dieta.

Afinal, esta é uma dieta LOW FODMAP, não uma dieta NO FODMAP. A eliminação de todos os alimentos do FODMAP da dieta em longo prazo não é desejável ou recomendada.

Fique atento!

Uma pesquisa da Universidade de Mônaco ressaltou  que uma a cada sete pessoas sofre com a Síndrome do Intestino Irritável. Portanto, se você tem desconforto e inchaço  abdominal frequente, várias idas ao banheiro, constipação, ou convive sempre com gases, é fundamental  que fique atento aos sintomas e tente associá-los  à ingestão de determinados tipos de alimento.

Afinal, entre os indivíduos com SII, 75% dos que começaram uma dieta low FODMAP sentiram alívio nos desconfortos intestinais, depois de um tempo, e, se este for o seu caso, introduzir este tipo de dieta pode ser uma boa para a sua saúde e qualidade de vida!

Agora, se seu objetivo é perda de peso, a melhor opção é reeducação alimentar e prática regular de atividades físicas, para resultados eficientes e saudáveis.

E mais:   se você quiser ajuda nesse processo de emagrecimento, lembre-se de meu método “Finalmente Magro” que possibilita uma verdadeira reorganização em sua vida, uma transformação em sua mente e uma reeducação alimentar de forma simples, rápida e perene!

 

Leia também

Como de forma correta para evitar inflamações

Dieta viking – alimente-se como os nórdicos para ter um corpo magro e saudável

Dieta do vinagre de maça funciona?

 

Busque seu propósito. Deixe o seu legado.

Rê Spallicci

 

Renata Spallicci

Atleta profissional fisiculturismo WBFF, executiva, empresaria, coach, influenciadora digital, escritora, palestrante motivacional e realizadora social fundadora do movimento Fit do Bem.

www.renataspallicci.com.br
www.fitdobem.com.br
www.dosonhoarealizacao.com.br