Autorresponsabilidade

RENATA SPALLICCI

Realização

26/06/2018

Autorresponsabilidade – você é o único responsável por suas realizações

Tome as rédeas de sua vida e assuma o total controle de suas ações para alcançar o sucesso

Quem me conhece sabe que sou uma sonhadora incorrigível. E sempre foi assim! Desde pequena eu me lembro de ter esta característica. E, como conto no meu livro “Do Sonho à realização”, esta minha forma de ser fez com que, muitas vezes, eu me frustrasse. Afinal, muitos dos sonhos que eu concebia, não conseguia concretizar, o que me deixava megafrustrada.

Foi só quando investi em inúmeros processos de autoconhecimento que passei de uma sonhadora a uma realizadora. E  foi nessa jornada que aprendi um conceito que reputo ser algo essencial para que possamos realizar nossos sonhos e buscar a tão perseguida felicidade:a autorresponsabilidade!

Chega de desculpasAutorresponsabilidade

“Eu não fiz porque meus pais não me apoiaram”;

“Não estou conseguindo por causa da crise”;

“Se não fosse o governo, eu teria mais sucesso”;

“Meu colega me atrapalhou, e eu atrasei o projeto”…

Quantas e quantas vezes você já ouviu essas afirmações? Ou até mesmo as usou? A verdade é que raramente nós assumimos a responsabilidade pelas coisas que não dão certo em nossa vida, e quase sempre temos uma lista de culpados e de desculpas para justificar nossos fracassos.

Mas a grande verdade é que você é o único responsável pelos seus atos e suas ações. Claro que o ambiente onde estamos inseridos, as pessoas que estão ao nosso redor e as circunstâncias da vida exercem influência sobre nós, contudo,  quando temos total consciência daquilo que somos, quando realmente tomamos as rédeas de nossas vidas, quando temos autorresponsabilidade, nada disso nos desvia daquilo que pretendemos atingir.

Pois cabe exclusivamente a nós decidirmos nossas ações e omissões e a mais ninguém. A vida adulta é exatamente sobre assumir responsabilidades perante nossos atos, mas, muitas vezes, continuamos agindo como crianças que nunca assumem suas decisões.

Autorresponsabilidade é a certeza de que ninguém além de você é responsável por todas as suas experiências de vida e o futuro que você cria. Em outras palavras, o seu futuro é de sua responsabilidade e cabe somente a você mesmo criar sua própria jornada.

Eu acredito que a nossa essência foi criada por Deus, e ela é imutável, até porque é perfeita. Porém, a criação que tivemos, a educação que recebemos, o ambiente que frequentamos, a quantidade e qualidade de amor que nos foi dado, tudo isso nos transforma em pessoas distantes dos nossos sonhos e potenciais, a ponto de nos perguntarmos quem somos.

Quando buscamos o autoconhecimento e, por meio dele, nos reencontramos com a nossa essência, passamos a ter uma nova consciência que nos levará inevitavelmente à autorresponsabilidade!

E, ao nos  tornarmos autorresponsáveis, poderemos viver de uma forma diferente do que vivemos até hoje, sendo mais alegres, mais amorosos, mais competitivos, mais motivados, alcançando quase tudo o que quisermos.Esta é verdadeira essência do ser humano,  e isso é exercer o livre arbítrio que Deus nos deu.

Acredite: você pode optar por uma vida muito melhor, com mais conquistas e realizações, mas para isso a autorresponsabilidade é primordial.

Como você lida com as dificuldades?

Todos nós passamos por períodos de dificuldades em nossas vidas. E  a forma como  reagimos a elas é que nos diferenciam e nos tornam vencedores ou perdedores.

Não é o que nos acontece na vida que nos paralisa e esmaga nossas esperanças. Pelo contrário, é como respondemos ao que a vida nos traz.

Às vezes, você pode não ser capaz de escolher o que a vida lhe traz. Mas a pode controlar a maneira como interpreta os eventos em sua vida. O pensamento que você permite florescer em sua mente é sua responsabilidade.

Jim Rohn, o filósofo americano dos negócios, expõe  desta forma: “Você deve assumir sempre a sua responsabilidade. Você não pode mudar as circunstâncias, as estações ou o vento, mas pode mudar a si mesmo. Isso é algo que você deve se cobrar”.

O escritor, palestrante e coaching Tony Robbins conta que teve uma infância complicada, por causa de uma criação muito rígida. Mas ele acredita que as dificuldades o moldaram para ele ser o que é hoje! E isto porque, naquele momento da vida, não deixou de seguir os sonhos dele e usou a dificuldade da relação com os pais não como um entrave, mas sim, como um combustível.

Outra história que me vem à mente é a do Aldo, supercampeão de MMA. Ele também teve uma infância altamente complicada, com um pai violento… mas a forma como ele  canalizou essa raiva  para o ringue e para as suas realizações é um exemplo de que, independente das dificuldades pelas quais passamos, a forma como resolvemos lidar com elas é que realmente importa.

Mudar-se para aceitar 100% de responsabilidade por sua vida é seu dever e uma necessidade para a felicidade e o sucesso. Nunca vi nenhum grande realizador que não acreditasse que ele próprio fosse o capitão de sua vida. Este é um sistema de crenças dos campeões. Se você acredita que é responsável pelos resultados e pelo futuro que cria, assumirá a responsabilidade e desenvolverá a autodisciplina necessária para tornar sua vida um sucesso.

Por outro lado, se você acha que o sucesso é uma questão de sorte e que algum tipo de força ou circunstância externa é responsável por tudo o que acontece em seu caminho, ou em que você se tornará, você simplesmente passará pela vida. Você não vai valorizar o seu tempo ou a si mesmo. Você vai culpar todos e tudo, menos a si  mesmo. Você nunca se esforçará para explorar seu precioso potencial e suas infinitas habilidades.

Quatro atitudes de quem tem autorresponsabilidade

A seguir, as quatro atitudes que caracterizam pessoas autorresponsáveis:

Elas nunca dão desculpas.

Os autorresponsáveis ​​nunca dão desculpas para seus fracassos, passividade ou erros. Eles aceitam suas falhas, aprendem com elas e seguem em frente rapidamente. Em seu excelente livro, A Magia de Pensar Grande, David Schwartz cunhou a palavra “Desculpite” (da palavra raiz “desculpa”), que ele definiu como “A doença dos fracassos”. Ele disse que “todo fracasso tem essa doença em sua forma avançada”. E a maioria das pessoas “medianas” tem pelo menos um caso leve disso. “Se você usa desculpas como mecanismos de defesa conscientes ou como expressão inconsciente de preguiça, precisa se curar da desculpite e desenvolver um senso de urgência para ações positivas.”

Elas nunca justificam suas fraquezas.

Em vez disso, elas reconhecem suas fraquezas e estão sempre se esforçando para melhorar seus pontos fracos. E ainda, pessoas autorresponsáveis ​​entendem que ter fraquezas faz parte de nossa humanidade e não é motivo para se envergonhar… E que a fraqueza tem o seu propósito: nos torna humildes, nos ajuda a desenvolver sensibilidade às dores e fraquezas de outras pessoas ao nosso redor. Acima de tudo, nos diz que, enquanto estivermos vivos, é nosso dever nos comprometermos com o desenvolvimento pessoal contínuo e implacável, a fim de transformarmos nossas fraquezas em força.

Elas nunca culpam os outros por seus fracassos, retrocessos ou dores.

Pessoas altamente responsáveis ​​nunca culpam os outros por suas experiências desagradáveis ​​de vida. Um grande sintoma de quem não tem autorresponsabilidade é culpar todos os outros, exceto ela mesma, por tudo que não está dando certo. Ela culpa o sol, a chuva, o inverno, o verão, o governo, seus pais… Em suma, ela culpa tudo o que se move ou fica parado por suas provações e falta de progresso. Esta é uma mentalidade derrotista e uma atitude perdedora em relação à vida. E é o tipo de pensamento que separa os fracassados dos bem-sucedidos. Um grupo assume a responsabilidade; o outro grupo descarta a responsabilidade.

Elas nunca se culpam por seus erros e falhas do passado.

Pessoas autorresponsáveis ​​não se flagelam com suas memórias passadas. Elas entendem que não podem mais mudar o passado, mas que têm em suas mãos a responsabilidade de fazer um futuro diferente. Se você é autorresponsável, nunca vai se segurar por seus erros do passado. Em vez disso, você vai ver quanto aprendizado suas falhas passadas poderão lhe fornecer e, então, se comprometerá com mudanças positivas que garantirão que você faça o resto de sua vida a melhor parte dela.

Enfim, para uma vida plena, você precisará de uma quantidade tremenda de emoções: energia física, psicológica e espiritual para alcançar seus objetivos e buscar as suas realizações.

Mas o ponto de partida para tudo isso é parar de se culpar,  de justificar suas fraquezas ou fracassos,  de dar desculpas para não agir e não  se culpar por seus erros passados.

Lembre-se: os mesmos ventos sopram em todos nós enquanto navegamos para nossos destinos. Mas o que decide a nossa chegada aos nossos destinos é assumirmos ou não total responsabilidade pela colocação da vela.

 

Busque seu propósito. Deixe seu legado.

Renata Spallicci

 

Leia também

Psicologia positiva: saiba como transformar sua vida

Acreditar é o primeiro passo para o sucesso

Supere as crenças limitantes e viva melhor

Renata Spallicci

Atleta profissional fisiculturismo WBFF, executiva, empresaria, coach, influenciadora digital, escritora, palestrante motivacional e realizadora social fundadora do movimento Fit do Bem.

www.renataspallicci.com.br
www.fitdobem.com.br
www.dosonhoarealizacao.com.br