Cinco maneiras de agir para sairmos mais fortes da crise

RENATA SPALLICCI

Carreira

13/10/2020

Cinco maneiras de agir para sairmos mais fortes da crise

Ser protagonista e saber agir em uma nova realidade serão pontos essenciais para sobreviver ao momento adverso

7 min de leitura

É certo que vivemos um período desafiador e passando por  uma crise de características sem precedentes. Se para nós, brasileiros, lidar com crise econômica não é nenhuma novidade, uma recessão aliada a uma crise sanitária e com inúmeras medidas restritivas, certamente é algo novo para todos nós. 

E, se você é proprietário de uma pequena empresa,  ou líder em qualquer organização, certamente a última coisa de que precisa neste momento são palavras de motivação e incentivo. Tenho certeza de que já passou por essa fase e, agora, é preciso se  concentrar  e  procurar   uma orientação tática para desafiar as probabilidades, continuar a expandir os negócios e, finalmente, sair desta crise mais forte do que entrou.

Um ponto de inflexão

Um ponto de inflexão

Uma das definições de crise é “um estágio em uma sequência de eventos em que a tendência de todos os eventos futuros, especialmente para melhor ou para pior, é determinada; ponto de inflexão.” Em uma crise, cada ação e decisão que tomamos moldam nosso futuro. Como líderes, empresários e profissionais, isso significa que o que fizermos agora, em meio às duas crises que enfrentamos (COVID-19 e seu subsequente impacto econômico), determinará nosso destino.

A primeira decisão que todos nós temos que tomar é se estamos determinados a sair do outro lado melhor do que éramos antes, ou se vamos simplesmente nos esconder dentro de uma caverna e esperar que as coisas passem. Esta é uma escolha, um compromisso, para desafiar suposições que tínhamos sobre como pensávamos que o mundo funcionava, uma vontade de ir além do pensamento e da estratégia que tínhamos antes da pandemia.

Pensando em uma ideia para ajudar aqueles que tomaram a decisão de sair  deste momento do outro lado, melhor do que antes, eu organizei  várias reflexões que venho lendo sobre inovação, marketing, economia, futuro do trabalho e colaboração.

Aqui estão as cinco dicas que julguei mais importantes:

1. Todos nós temos uma escolha.

Se vamos nos perguntar: “Por que isso está acontecendo comigo?” ou “Dado que estamos aqui, o que eu quero criar?” é uma escolha que cada um de nós tem de fazer durante esta crise.

Essa escolha não faz desaparecer a crise em si, nem ignora a tragédia de tantas mortes em todo o mundo, nem faz aparecer instantaneamente empregos para dezenas de milhões de pessoas que agora estão desempregadas.

O que isso faz é nos mover da posição de vítima para o papel de protagonista. Ficaremos limitados, se nos concentrarmos no que não podemos controlar, e fortalecidos quando nos concentrarmos no que queremos criar, dado um determinado conjunto de circunstâncias.

2. Desafie as suposições.

Todas as apostas estão encerradas. Ou seja, tudo o que pensávamos que sabíamos sobre como nossas estratégias funcionariam, quem era nossa concorrência, quais eram nossos fluxos de receita, quais são as necessidades não atendidas, quais são nossas funções específicas, mudou. Já que todas as apostas estão canceladas, uma pergunta poderosa para impulsionar a ação e a estratégia é: “Onde podemos agregar valor, de que maneira,  de que nossos clientes e funcionários realmente precisam, agora?”

Isso provavelmente significa que você necessita  dinamizar sua empresa parcial ou totalmente. Também significa que você vai querer entrar em uma conversa com seus clientes sobre o que eles realmente precisam.

3. Você é o norte para seu negócio, sua organização, sua equipe.

Este momento está convidando cada um de nós a uma liderança renovada e fortalecida. Não há uma cavalaria vindo para nos salvar. Nós somos a cavalaria. Portanto, pare um momento, ouça e pergunte a si mesmo quem você precisa ser para garantir que você e sua organização tenham um desempenho melhor do outro lado. Uma estratégia sugerida por Hollie Heikkinen, CEO e fundador da iWorker Innovations é formar um “thinktank” em torno de você para buscar conselhos e novas ideias, equilibrando essa entrada com o entendimento do que você sabe ser melhor.

4. Aqueles que projetam e fornecem as melhores práticas para o agora terão uma vantagem competitiva distinta.

As crises que enfrentamos passarão por três momentos distintos que fornecem o contexto e o recipiente para a decisão e o desenvolvimento da estratégia. O primeiro é “bloqueio”. Esta é a fase em que a maior parte do mundo estava até pouco tempo, em que o movimento, a atividade, os negócios, as interações sociais se restringiam às atividades essenciais.

O segundo é “o agora”. Este será o período de 6 a 18 meses, tempo em que as empresas começarão a reabrir, mas os modelos operacionais precisarão ser diferentes porque ainda estamos tentando diminuir a propagação do vírus. O terceiro momento no tempo será o novo mundo que criaremos durante os primeiros dois períodos.

De acordo com Ted Snyder, professor de Economia e Gestão da Yale School of Management e ex-reitor da Yale SOM e da Chicago Booth School of Business, empresas e indivíduos que podem desenvolver e criar melhores práticas durante “o agora” e divulgá-las,  serão líderes de mercado e terão amplas oportunidades para criar valor.

5. A colaboração é a chave.

Os desafios que todos nós enfrentamos agora estão incorporados em grandes e elevados graus de complexidade. Como a queda de um raio, a propagação de uma doença gerou mudanças massivas e quase instantâneas em tudo, desde operações de pequenas empresas até gerenciamento da cadeia de suprimentos global, acesso à educação eo modo como definimos o trabalho.

Nenhum indivíduo, organização ou indústria têm uma solução mágica para resolver o que está acontecendo e, mais importante, garantir que vamos aproveitar  o que está ocorrendo para criar algo melhor, mais inclusivo e mais valioso, quando este momento tiver passado.

Estender a mão para outras pessoas e ser um conector ou construtor de pontes com recursos, ideias e oportunidades de onde estamos, para onde estamos indo nos ajudará a passar por isso mais fácil e mais rápido.

É isso, mais do que uma receita de sucesso, essas dicas são pontos de pensamento e conscientização de como podemos tomar as rédeas de nossas vidas e negócios, para que possamos chegar ao outro lado mais fortalecidos. Estamos todos juntos nessa jornada, mas só alguns chegarão ao novo estágio mais revigorados. Espero encontrá-lo desse lado, quando tudo isso terminar!

Leia também:

Liderar é entender que nem todos são iguais e agir com empatia

Liderança – não existe mais espaço para o modelo comando-controle

A importância de liderança no novo normal

Busque seu propósito. Deixe o seu legado.

Rê Spallicci

Renata Spallicci

Empresária, escritora, palestrante, coach e influenciadora digital, empreendedora, rainha de bateria da Barroca Zona Sul e campeã de fisiculturismo, Renata é inspiração para que as pessoas busquem, sempre, se autoconhecer e assim superar os desafios e trilhar a jornada rumo à realização dos seus sonhos.

renataspallicci.com.br
fitdobem.com.br
dosonhoarealizacao. com.br