Carreira

Você não é uma fraude

Saiba como identificar e fugir da síndrome do impostor

 1 de setembro de 2021
11 min de leitura

voce nao e uma fraude

“Sou uma fraude total e, mais cedo ou mais tarde, todo mundo vai descobrir.”

Você por acaso já teve esse pensamento? Já se sentiu pouco capaz mesmo quando lhe falam o contrário? Sentiu como se tudo para você fosse mais difícil?

Se “sim”, saiba que essa é uma característica da síndrome do impostor.

As primeiras pesquisas que exploram esse fenômeno se concentraram principalmente em mulheres bem-sucedidas. Mais tarde, porém, ficou claro que a síndrome do impostor pode afetar qualquer pessoa em qualquer profissão, de estudantes de graduação a executivos de alto escalão.

A síndrome do impostor envolve sentimentos de dúvida e incompetência pessoal que persistem, apesar de sua educação, experiência e realizações.

Para contrariar esses sentimentos, você pode acabar trabalhando mais arduamente e se sujeitando a padrões cada vez mais elevados, o que certamente acabarão prejudicando seu bem-estar emocional e seu desempenho.

Qual é a sensação

Os sentimentos de impotência representam um conflito entre  sua própria autopercepção e a maneira como os outros o percebem.

Mesmo quando os outros elogiam seus talentos, você atribui seus sucessos ao tempo e à boa sorte. Você não acredita que os conquistou por seus próprios méritos e teme que os outros acabem percebendo a mesma coisa.

Portanto, você se pressiona a trabalhar mais para:

  • Impedir os outros de reconhecerem suas deficiências ou falhas
  • Tornar-se digno de papéis que você acredita não merecer
  • Compensar o que você considera sua falta de inteligência
  • Aliviar os sentimentos de culpa por “enganar” as pessoas
  • O trabalho que você faz pode manter o ciclo em andamento. Suas futuras realizações não o tranquilizam – você as considera nada mais do que o produto de seus esforços para manter a “ilusão” de seu sucesso.

Algum reconhecimento que você ganha? Você chama  de simpatia ou piedade. E, apesar de vincular suas realizações ao acaso, você assume toda a culpa por quaisquer erros que cometer. Mesmo pequenos erros reforçam a crença em sua falta de inteligência e habilidade.

Com o tempo, isso pode alimentar um ciclo de ansiedade, depressão e culpa.

Vivendo com medo constante da descoberta, você se esforça para alcançar a perfeição em tudo o que faz e pode se sentir culpado ou inútil quando não consegue alcançá-la, sem falar que está exausto e oprimido por seus esforços contínuos.

Os cinco tipos da síndrome:

A principal pesquisadora da síndrome do impostor, Dra. Valerie Young, descreve cinco tipos principais de impostores em seu livro “Os pensamentos secretos das mulheres bem-sucedidas: por que as pessoas capazes sofrem da síndrome do impostor e como prosperar apesar dela.”

Esses tipos de competência, como ela os chama, refletem suas crenças internas sobre o que a competência significa para você.

Aqui está uma visão mais detalhada de cada tipo e como eles se manifestam:

O perfeccionista

Você se concentra principalmente em como faz as coisas, muitas vezes a ponto de exigir perfeição de si mesmo em todos os aspectos da vida.

No entanto, uma vez que a perfeição nem sempre é uma meta realista, você não pode atender a esses padrões. Em vez de reconhecer o trabalho árduo que fez depois de concluir uma tarefa, você pode se criticar por pequenos erros e sentir vergonha do seu “fracasso”.

Você pode até evitar tentar coisas novas, se acreditar que não pôde fazê-las perfeitamente na primeira vez.

O gênio natural

Você passou sua vida aprendendo novas habilidades com pouco esforço e acredita que deve entender novos materiais e processos imediatamente.

Sua crença de que pessoas competentes podem lidar com qualquer coisa com pouca dificuldade o leva a se sentir uma fraude, quando passa por momentos difíceis.

Se algo não for fácil para você ou se você falhar na primeira tentativa, poderá se sentir envergonhado e constrangido.

O individualista (ou solista) rude

Você acredita que deve ser capaz de lidar com tudo sozinho. Se não conseguir alcançar o sucesso de forma independente, considera-se indigno.

Pedir ajuda a alguém ou aceitar apoio quando lhe é oferecido não significa apenas falhar em seus próprios padrões elevados. Também significa admitir suas inadequações e se mostrar um fracasso.

O especialista

Antes de considerar seu trabalho um sucesso, você quer aprender tudo o que há para saber sobre o assunto. Você pode gastar tanto tempo buscando mais informações que acabará tendo que dedicar mais tempo à sua tarefa principal.

Uma vez que acredita que deveria ter todas as respostas, você pode se considerar uma fraude ou falha, quando não consegue responder a uma pergunta ou encontrar algum conhecimento que você esqueceu anteriormente.

O super-herói

Você vincula competência à sua capacidade de ter sucesso em todas as funções que exerce: aluno, amigo, funcionário ou pai. Não conseguir navegar com sucesso pelas demandas dessas funções simplesmente prova, em sua opinião, sua inadequação.

Para ter sucesso, então, você se esforça ao máximo, gastando o máximo de energia possível em cada função.

Ainda assim, mesmo esse esforço máximo pode não resolver seus sentimentos de impostor. Você pode pensar: “Eu deveria ser capaz de fazer mais” ou “Isso deveria ser mais fácil”.

Os motivos da síndrome

Ambiente parental e infantil

Você pode desenvolver sentimentos de impostor, se seus pais:

  • Te pressionaram para ir bem na escola
  • Compararam você com seu (s) irmão (s)
  • Eram controladores ou superprotetores
  • Enfatizaram sua inteligência natural
  • Criticavam severamente por qualquer erro

O sucesso acadêmico na infância também pode contribuir para que mais tarde tenha  sentimentos impostores.

Talvez o Ensino Fundamental e o Ensino Médio nunca tenham sido um grande desafio. Você aprendeu com facilidade e recebeu muitos elogios de professores e pais.

Na faculdade, no entanto, você se encontra lutando pela primeira vez. E  começa a acreditar que seus colegas são todos mais inteligentes e talentosos, e pode se questionar  se não pertence à faculdade, afinal.

Novas responsabilidades

Não é incomum se sentir indigno de uma carreira ou oportunidade acadêmica que  acabou de ganhar.

Você quer o emprego, com certeza. Pode até ser o emprego de seus sonhos. Mesmo assim, você se preocupa, pois acredita que  não corresponderá às expectativas ou que suas habilidades não serão iguais às de seus colegas de trabalho ou de classe.

Esses sentimentos podem desaparecer à medida que você se instala e se familiariza com a função. Às vezes, porém, podem piorar – principalmente se você deixar de receber apoio, validação e incentivo de seus supervisores ou colegas.

O papel do preconceito

Junto com os fatores acima, o preconceito de gênero e o racismo institucionalizado também podem desempenhar um papel significativo nos sentimentos de impostor.

A Research Trusted Source sugere consistentemente que, embora, sim, qualquer pessoa possa experimentar esses sentimentos, eles tendem a aparecer com mais frequência em mulheres e pessoas negras .Em outras palavras: pessoas que geralmente têm menos representação em ambientes profissionais.

A consciência do preconceito contra seu gênero ou raça pode levá-lo a trabalhar mais arduamente para refutar estereótipos prejudiciais. E também julga que  precisa dedicar mais esforço do que qualquer outra pessoa para ser levado a sério.

O simples fato de estar ciente desses estereótipos negativos pode afetar seu desempenho, levando-o a se fixar em seus erros e a duvidar ainda mais de suas habilidades.

Como lidar com isso?

Se você se sentir uma fraude, trabalhar mais para fazer o melhor pode não mudar muito a sua autoimagem.

Essas estratégias podem ajudá-lo a resolver sentimentos impostores de maneira produtiva.

Falar com um amigo de confiança ou mentor sobre sua angústia pode ajudá-lo a obter algum contexto externo sobre a situação. Abrir-se aos colegas sobre como você se sente, incentivando-os a fazer o mesmo,  o ajudará  a perceber que não é o único que se sente um impostor.

Construir conexões

Evite ceder à vontade de fazer tudo sozinho. Em vez disso, recorra a colegas de classe, colegas acadêmicos de trabalho para criar uma rede de apoio mútuo.

Lembre-se de que você não consegue tudo sozinho.

Quando sentimentos impostores vierem à tona, pergunte-se se algum fato real apoia essas crenças. Em seguida, procure evidências para contestá-los.

Digamos que você esteja pensando em se candidatar a uma promoção, mas não acredita que tenha o que é preciso. Talvez um pequeno erro que você cometeu em um projeto há alguns meses ainda o assombre. Ou talvez você pense que os colegas de trabalho que mais elogiam seu trabalho apenas sintam pena de você.

Enganar todos os seus colegas de trabalho seria muito difícil, porém um trabalho ruim provavelmente não passaria despercebido a longo prazo.

Se você recebe incentivo e reconhecimento de forma consistente, é um bom sinal de que está fazendo muito bem suas tarefas –  e merece uma chance de promoção.

Evite comparar-se com os outros

Todos têm habilidades únicas. Você está onde está porque alguém reconheceu seus talentos e seu potencial.

Você pode não se destacar em todas as tarefas que tenta realizar, mas também não precisa. Quase ninguém pode “fazer tudo”. Mesmo quando parece que alguém tem tudo sob controle, você pode não saber a história completa. Não há problema em precisar de um pouco de tempo para aprender algo novo, mesmo que outra pessoa pareça entender essa habilidade imediatamente.

Em vez de permitir que o sucesso dos outros destaque suas falhas, considere explorar maneiras de desenvolver as habilidades que lhe interessam.

Enfim, saiba que o sucesso não exige perfeição. A verdadeira perfeição é praticamente impossível, portanto não alcançá-la não significa que você seja uma fraude.Oferecer a si mesmo bondade e compaixão em vez de julgamento e dúvida pode ajudá-lo a manter uma perspectiva realista e motivá-lo a buscar um autocrescimento saudável.

Tenha a coragem de assumir e aceitar suas vulnerabilidades. Pode ter certeza de que todos temos características únicas, e é isso que nos tornam indivíduos maravilhosos e especiais.

Leia também:

Busque ser corajosa e não perfeita

Tenha a coragem de ser vulnerável e imperfeita

Finja o que quer ser até se tornar aquilo que deseja!

Busque seu propósito. Deixe o seu legado

Rê Spallicci








Abrir Conversa
Fale comigo!
Abrir Conversa
Fale comigo!