Carreira

Cinco formas de se trabalhar com saúde

Trabalho tem que ser fonte de prazer e não de tortura. Como então tornar o seu ambiente de trabalho um local mais agradável? Siga as cinco dicas de Paulette Albéris Alves de Mello, professora de gestão de pessoas nos MBA’s da FGV – Fundação Getulio Vargas.

 26 de setembro de 2015
5 min de leitura

5 formas de trabalhar com saúde

No Brasil, o trabalho vem sendo um dos principais causadores de estresse e doenças emocionais. A pressão desmedida por resultados e lideres sem preparo são o binômio perfeito para levar o colaborador a adoecer. Mas o quê cada um de nós pode fazer para mudar este quadro e tornar o trabalho um ambiente de prazer e não de tortura?

Para responder a esta pergunta, conversamos com Paulette Albéris Alves de Mello, PhD em administração pela Florida Christian University e premiada, durante quatro anos consecutivos, como a melhor professora de gestão de pessoas nos MBA’S da FGV – Fundação Getulio Vargas, e fizemos uma lista com cinco dicas de como podemos nos portar para trabalhar com saúde.

5 formas de se trabalhar com saúde:

Como trabalhar com saúde!

Mude a sua forma de encarar o trabalho

Trabalho deve ser fonte de orgulho e prazer e não de sofrimento. Nem sempre podemos trabalhar com aquilo que gostamos, portanto o segredo está em gostar do que se faz. “Nós, brasileiros, enxergamos o trabalho como instrumento de tortura. Herdamos esse pensamento da tradição católica medieval, que era ainda profundamente influenciada pelos gregos. Os deuses gregos nunca trabalhavam, apenas mantinham seus respectivos tronos no Olimpo, enquanto criavam os seres humanos para trabalhar para eles. Atualmente no Brasil, o que temos é um ciclo vicioso; a maioria dos brasileiros encara o trabalho como uma maldição. Não deveria ser assim. As pessoas foram feitas para trabalhar. Para colocar a cabeça no travesseiro à noite e sentir orgulho da forma com que contribuem com o mundo. Nos países de tradição anglo-saxônica ou de tradição calvinista reformada, o trabalho é considerado presente de Deus, uma oportunidade para que os seres humanos executem o que Ele determinou a cada um de nós dentro do Universo. No Brasil, ainda temos muito a crescer se conseguirmos enxergar os benefícios do trabalho”, explica Paulette Alves de Mello.

Seja reflexivo e cultive o senso critico

Somente obedecer ordens e não participar ativamente da construção das estratégias, nos torna robôs e não pessoas plenas. As empresas precisam de pessoas com mentes. “As empresas que buscam pessoas submissas e obedientes, abrindo mão daquelas que são reflexivas e que têm senso crítico, perdem a oportunidade de aprimorar seus processos e de buscarem inovação”, analisa Paulette, que há duas décadas trabalha como consultora em Coaching & Mentoring para a alta gerência de empresas multinacionais.

Procure empresas que incentivem o desenvolvimento do seu potencial

Aquela ideia de que a empresa é responsável pelo desenvolvimento do colaborador é algo que já ficou no passado. Hoje, cada profissional deve buscar o seu autodesenvolvimento, mas para isso precisa estar em uma empresa que permita que ele mostre todo o seu potencial.
“O colaborador precisa de um ambiente de acolhimento e de aceitação, um lugar onde ele seja valorizado primordialmente a partir daquilo o que agrega para o time. Isto é, onde seja notado por seus pontos fortes e não pelos fracos. O colaborador deve sentir que é importante dentro da equipe e que nela há o devido espaço para que ele possa brilhar”, complementa a consultora.

Seja um líder inspirador

Ao assumir uma posição de liderança, colabore com o bom ambiente da sua empresa. Seja um líder que inspira e que se preocupa com o desenvolvimento de sua equipe.
“O colaborador é muito sensível. Ele percebe claramente quando o chefe não está nem um pouco interessado no desenvolvimento de seu pessoal. Cada vez mais, as pessoas começam a questionar líderes que abusam da mentira, da manipulação em benefício próprio, da truculência, da exploração das pessoas, do excesso de poder, dos prazeres do comando”, ensina Paulette.

Resgate o orgulho do seu trabalho

Prazos, metas e pressão fazem parte do mundo corporativo e não há como isso ser diferente. Mas você pode trabalhar, sabendo lidar com estes fatores e transformá-los em um estímulo e não em um entrave. “O autor Tom Morris no seu livro ‘A nova alma do negócio’ diz algo muito interessante. Tudo o que vale a pena na vida tem que ser tensionado. Um instrumento de corda, por exemplo, precisa de tensão na medida certa. Um instrumento com cordas soltas não toca e com as cordas muito tensionadas tem o risco de partir. Precisamos de estresse para sobreviver e para produzir. Use esta tensão como um estímulo e resgate o orgulho do trabalho que você faz. O trabalho de cada um de nós interligado é uma grande corrente para fazer o bem”, finaliza Paulette.

Ser você mesmo é segredo de sucesso no trabalho

O jeito Harvard de ser feliz 

Psicologia positiva, saiba como transformar sua vida

O que realmente te motiva? 

Busque seu propósito. Deixe seu legado.

Rê Spallicci